Tupy encerra 2019 com maior receita, EBITDA e lucro líquido da história

O ano também foi marcado pelo aumento da demanda por serviços de maior valor agregado e pela implementação de projetos voltados à eficiência operacional

A Tupy finalizou o ano de 2019 com forte geração de caixa e incremento de margens. Um dos pontos altos foi o lucro líquido anual de R$ 279 milhões. A receita total também apresentou crescimento de 6,9%, em relação a 2018, chegando a R$ 5,1 bilhões.

O EBITDA ajustado chegou, pela primeira vez, a R$ 700,1 milhões, 3,4% superior a 2018 correspondendo, assim como nos indicadores acima, ao maior valor da história da Companhia.

Em relação ao último trimestre de 2019, o fluxo de caixa operacional atingiu R$ 342 milhões – no mesmo período no ano anterior, havia sido de R$209 milhões – ou seja, um crescimento de 63,7%, representando também o maior valor da história da Companhia dentro de um trimestre. Além disso, foi registrado crescimento nas vendas de produtos de alto valor agregado, usinados e em CGI, que representaram 23% e 24% do volume, respectivamente – em 2018, as porcentagens foram de 20% e 16%.

Os EBITDA CVM e EBITDA Ajustado também foram destaques: R$ 193,9 milhões (+27,4%) e R$ 152,2 milhões (+0,7%), no quarto trimestre. Por sua vez, as margens atingiram 17% e 13,4% respectivamente, aumentos de 470 e 120 pontos-base na comparação com o 4T18.


Continua depois da publicidade


A distribuição da geração de receita pelo mundo se manteve com números similares aos dos últimos trimestres, sendo que a Tupy exporta seus produtos para mais de 40 países: a América do Norte representou 64% da receita da Companhia, enquanto Américas do Sul e América Central representaram 17% e Europa, 14%. Os demais 5% são provenientes da Ásia, África e Oceania.

“O ano de 2019 trouxe resultados excepcionais. Inauguramos um novo parque de usinagem que permitirá, junto a outras iniciativas, aumentar significantemente nosso portfólio de serviços e estreitar ainda mais o relacionamento com nossos clientes. Iniciamos inúmeras ações voltadas à eficiência operacional, que contribuíram para a redução de custos e permitiram uma maior flexibilidade de produção entre diversas plantas. É importante salientar que ainda não capturamos totalmente esses benefícios, os quais devem se materializar a partir de 2020”, explica Fernando Cestari de Rizzo, CEO da Tupy.

Aquisições  

Em 20 de dezembro, a Companhia anunciou a aquisição do negócio de fundição de componentes estruturais em ferro da Teksid, empresa do grupo FCA, pelo valor da 210,0 milhões de euros. O fechamento da operação está condicionado à aprovação por parte de autoridades antitruste no Brasil e no exterior.

Tópicos:



Comentários