Weg instalará no sul a décima planta industrial brasileira

O grupo também pensa no investimento em fábrica na Índia e em distribuidora na Rússia

Fonte: Jornal do Commercio - 25/09/07
Foto: Weg

A fabricante de motores elétricos Weg instalará no município de Itajaí, em Santa Catarina, sua décima fábrica no Brasil. A empresa comunicou ontem a aquisição do imóvel com área de 222 mil m², que abrigará atividades de fabricação de transformadores industriais à seco, de montagem de painéis elétricos para automação e linhas de fabricação de fios de cobre para produtos de alta-tensão.

O investimento - que não teve seu valor revelado - faz parte do orçamento de R$ 260 milhões para a expansão industrial da Weg neste ano. Os próximos projetos da companhia estão no plano internacional: montar unidade fabril na Índia e iniciar a distribuição de produtos na Rússia, informou o diretor de Relações com Investidores, Alidor Lueders.

A fábrica de Itajaí ficará localizada no Distrito Industrial da cidade, nas proximidades da rodovia BR-101 e a dez quilômetros do Porto de Itajaí, o que torna a localização estratégica.

"Na nova fábrica, contamos com facilidades logísticas de estarmos próximos de nossos principais parques fabris de Jaraguá do Sul e Blumenau e do Porto de Itajaí. A área já abrigou a fabricação de equipamentos correlatos aos nossos e a região conta com universidades de excelente padrão, o que facilita o recrutamento de colaboradores qualificados", destacou Lueders.

A aquisição é mais outro passo da Weg em direção à expansão dos seus negócios em equipamentos para geração, transmissão e distribuição de energia elétrica (GTD), área de negócios que tem apresentado grande crescimento dentro do portfólio de produtos da companhia.

No segundo trimestre o segmento representou 22,7% da receita bruta da empresa - atrás apenas de equipamentos eletro-eletrônicos industriais, com 59,1% -, e foi o único com crescimento em relação ao segundo trimestre de 2006, com alta de quatro pontos percentuais em sua participação.

A área de GTD engloba o fornecimento de geradores para usinas hidráulicas, usinas térmicas e eólicas, transformadores, painéis de controle e serviços de automação de energia.

A Weg vem sendo beneficiada pelo aquecimento da demanda por equipamentos de GTD por parte do setor de energia elétrica, em especial investimentos em geração de energia distribuída por pequenas centrais hidrelétricas (PCHs) e fontes alternativas de energia (biomassa), onde a empresa concentra sua atuação.

O crescimento da economia brasileira, fator que também favorece o maior consumo de energia, leva o diretor da Weg a projetar um crescimento superior aos 15% inicialmente previstos, apesar da valorização cambial que afeta a receita de exportações da empresa.

"Vamos fechar o orçamento de 2008 e revisar a estimativa de crescimento deste ano em novembro. Continuamos com crescimento das vendas no mercado externo, cuja tendência é de participação cada vez maior em nosso resultado", disse Lueders.

Receita Bruta

No primeiro semestre a Weg registrou receita bruta de R$ 2,089 bilhões, 26,9% superior a de igual período do ano passado. Em 2006 a empresa faturou R$ 3,5 bilhões.

O executivo explica que entre as estratégias para se proteger da valorização do real frente ao dólar está a diluição das exportações entre diversas moedas, diversificação de mercados - hoje a Weg exporta para cerca de 100 países - e a instalação de fábricas no exterior.

"Queremos estar cada vez mais próximos dos clientes, reduzindo custos com logística e tornando o produto mais barato", frisou Lueder. A Weg já tem fábricas na Argentina, México, Portugal e China.

Segundo Lueder, a fabricante brasileira estuda agora a criação de operação de motores industriais na Índia. "Temos como alternativas aquisições, parcerias ou a construção de uma fábrica do zero. Avaliamos a estratégia de entrada na Rússia, provavelmente com estrutura de distribuição", adiantou o diretor de RI. A Weg tem 7% de sua produção concentrada no exterior e a perspectiva é de crescimento desse percentual nos próximos anos.
Tópicos:



Comentários