País já pode produzir 1,6 bilhão de litros de biodiesel

Fonte: Abiodiesel - 19/09/07

O Brasil já tem o dobro da capacidade de produção necessária à primeira fase de adição do biodiesel ao óleo diesel, a partir de janeiro de 2008. Para uma necessidade estimada entre 800 milhões e 900 milhões de litros de biodiesel, as usinas já podem produzir 1,6 bilhão de litros anuais, dependendo apenas do fornecimento das diversas matérias-primas das quais se extrai o combustível. No ano que vem, o diesel passará a receber 2% de biodisel, o chamado B2, mas a aparente produção excedente já deverá ter destino, porque grandes consumidores como a Vale do Rio Doce e empresas de ônibus em São Paulo já estão usando uma mistura com teor de biodiesel bem superior, B20 e até B30. A questão segue sendo o preço, já que, para esta etapa, o governo garantiu preço ao produtor próximo de R$ 2 por litro, muito superior ao valor do diesel vendido nos postos.

Mesmo com incertezas de preços e de fornecimento de matéria-prima mais diversificada (está concentrada na soja), grandes investidores devem aportar no Brasil para reforçar a produção, para o mercado externo ou para exportação. Na semana que vem, por exemplo, de 19 a 22, 33 empresas e instituições vão se reunir em São Paulo, com apoio da Organização das Nações Unidas e de outras entidades internacionais para o 3º Biodiesel Congress, com painéis sobre oportunidades e estratégias para produção de biodiesel no Brasil. Representantes de governos e investidores de diversos países vão possibilitar um comparativo entre as diferentes políticas de regulamentação e as expectativas internacionais para negócios na área do biocombustível.

Um painel financeiro complementa os debates, com a visão de executivos do BNDES, Finep, Banco Espírito Santo e Banco Fator sobre a captação de recursos para novos empreendimentos, tratando inclusive de oportunidades em abertura de capital. Entre as empresas e entidades já confirmadas destacam-se a Agência Nacional do Petróleo, Aracruz, Bayer, Bunge, Carbocloro, Dupont, Euroventures, Ipiranga, Nestle Oil, Kraft Foods e Petrobras.
Tópicos:



Comentários