Capital da Alemanha inicia testes com ônibus elétricos sem motorista

Pequenos veículos iniciaram testes nesta semana, e cobrirão um pequeno trecho de 600 metros

Eles são pequenos, amarelos, não têm motorista, nem volante, e se movem à base de eletricidade.

Com capacidade para apenas seis assentos, esse é o perfil dos micro-ônibus que passaram a rodar nessa sexta-feira, 16 de agosto de 2019, pelas ruas de Berlim, a histórica capital da Alemanha.

Restritos a uma área ao noroeste da cidade, eles ainda estão em fase de teste, o que deve perdurar até o fim de 2019.

À velocidade máxima de 15 quilômetros por hora, eles passaram a cobrir um trecho de 600 metros que liga o fim da linha de metrô U6 até o lago Tegel.

O serviço é grátis, como explica a Deutsche Welle, portal da emissora internacional da Alemanha.

Sigrid Nikutta, presidente da operadora berlinense de transportes públicos BVG, está por trás da experiência, produzida com veículos desenvolvidos pela francesa EasyMile, que fornece veículos autônomos para mais de 100 cidades.

Nikutta diz acreditar que os ônibus autopilotados “são uma adição inteligente a nossos grandes ônibus amarelos, por exemplo em áreas com vias estreitas e limites de velocidade rigorosa“. Ele garante que o sistema de transporte continuará necessitando de motoristas, pois não há planos para uma substituição total dos veículos de operação convencional pelos autônomos. Em suma, a operadora berlinense os vê como complemento aos ônibus convencionais.


Continua depois da publicidade


Além de Berlim, outras cidades da Alemanha estão trilhando o caminho da experiência com veículos autônomos. A Deutsche Welles cita os casos de Bad Birnbach, na Baviera, a pioneira no país em 2017, a quem veio se juntar, no início da semana, o bairro Hafencity, no antigo porto de Hamburgo, que também passou a realizar testes com a nova tecnologia.

Para o diretor da Agência de Eletromobilidade de Berlim (eMO), Gernot Lobenberg, esta é uma tentativa de “trazer para o mundo real uma nova tecnologia, com veículos altamente automatizados“.

Em 2015, Gernot Lobenberg concedeu uma entrevista em que disse que a meta da eMO era “transformar a capital da Alemanha e a região vizinha em um modelo internacionalmente reconhecido para todas as questões de eletromobilidade”.

No início, Berlim testou os ônibus autônomos fora das vias públicas.




Comentários