Mazzaferro investe em nova linha cirúrgica

O grupo italiano Mazzaferro, que está presente no Brasil há 65 anos e tem duas fábricas na região, uma em Diadema e outra a poucos metros da divisa com São Caetano, vai investir R$ 5 milhões na montagem de nova linha de produtos cirúrgicos, que deve começar a operar em maio. Além disso, o braço de inovação e tecnologia do grupo, o MZF4, também está em processo de certificação na novíssima norma ISO 56.002, lançada em abril mês na Europa e que reconhece a promoção da cultura inovadora que maximiza processos de gestão e gera resultados a partir de ideias.

Equipe da QMS esteve na empresa esta semana para auditoria. “Se tudo der certo em maio também estaremos certificados e seremos a primeira empresa da América Latina com essa certificação”, diz Fabricio Saad, diretor de marketing da MZF4.

A Mazzaferro tem uma fábrica em Diadema, que é especializada em produtos de pesca e outra na Vila Natália, na divisa de São Paulo com São Caetano, onde são manufaturados diversos produtos a partir de monofilamentos. Vão desde fios cirúrgicos até escovas e vassouras, passando pela fabricação de todo tipo de cerdas para indústrias de escovas de dentes. A linha de fios cirúrgicos é que vai aumentar e será montada em uma área especial para evitar contaminações. Essa linha terá telas protéticas além de outros itens. “Vamos atender a uma demanda global por esses produtos, uma demanda crescente”, diz o diretor de marketing. A maior parte da produção será exportada.


Continua depois da publicidade


Os R$ 5 milhões investidos foram gastos no projeto de engenharia e maquinário e a linha vai funcionar na unidade da Vila Natália. Essa é apenas uma pequena parte do investimento. Nos últimos cinco anos foram aplicados no grupo R$ 20 milhões entre expansão de fábricas, linhas de produtos, processos de sustentabilidade e construção de marcas, como o caso da MZF4. Na área ambiental, que é apelo mundial, a Mazzaferro atua fortemente na reciclagem. “Como produzimos produtos para pesca (na unidade de Diadema) fazemos toda a logística reversa, recebemos tudo que é retirado do mar como redes e linhas e reciclamos”, diz.

Outra área de atuação é a de beleza,com desenvolvimento de fios coloridos de acordo com as tonalidades das tinturas de cabelo, para ilustrar catálogos de marcas que abastecem o mercado brasileiro e de outros países. São mais de mil combinações de cores e esse é um dos principais produtos de exportação da Mazzaferro, ao lado dos fios cirúrgicos. Na linha Color Charts se considera líder na América Latina. No segmento de utilidades domésticas diz que é líder no Norte e Nordeste do País; na área médica está entre os principais players do mundo, em cerdas estamos entre os dois principais também na América Latina, e acredita que é o primeiro em produtos para pesca entre os países latinos. “É impossível no nosso dia a dia não termos contato com produtos Mazzaferro, pode ser escovando os dentes, ou no carro onde nossa linha está na costura do banco, do cinto de segurança ou na costura do pneu, tudo tem produto nosso”, comenta.

Atualmente a empresa emprega 500 funcionários e, em breve, o número irá aumentar com a nova linha cirúrgica. Recentemente a empresa entrou no segmento musical com os produtos da linha Hyper Pro de cordas para violão, ukulelê e guitarras. A produção teve início em janeiro deste ano e o material já abastece todo País.

Novas ideias

Dentro do conceito de valorização de ideias, o qual lhe vale a possibilidade de certificação na norma ISO 56.002, a Mazzaferro distribui em todos os departamentos caixas de sugestões e todos os colaboradores são estimulados a participar. “As ideias que forem aproveitadas garantem um prêmio ao colaborador”, explica Saad. Cintia Serafim foi autora de uma das ideias incorporadas pela empresa. Propôs a economia de recursos com uma campanha baseada em avisos do tipo ‘apagar a luz ao sair do ambiente’. A partir da proposta toda a empresa ganhou adesivos com alertas. “Nossa meta é continuar com a trajetória de incremento de valor agregado, com valorização de ideias que ajudam na redução de custos, e novas ideias de produtos e incremento da qualidade dos que já existem”, completa Fabrício Saad.




Comentários