Braskem investe R$ 600 milhões na planta de Santo André

Projeto de modernização energética da Braskem reforça momento positivo na economia da cidade e demonstra a preocupação da empresa com o desenvolvimento sustentável

A Braskem, localizada no Polo Petroquímico do ABC, vai investir R$ 600 milhões em um projeto de modernização do sistema elétrico, que resultará em maior eficiência na produção e melhoria em indicadores de sustentabilidade da empresa. O anúncio reforça o momento positivo vivido pela economia de Santo André, que tem recebido diversos novos investimentos e empreendimentos, graças à recuperação da credibilidade da cidade.

O projeto prevê a atualização tecnológica do sistema que atende a principal unidade industrial do polo, responsável pela produção de matérias-primas ao setor químico e do plástico. Essa mudança estrutural permitirá que o processo produtivo da unidade industrial se torne energeticamente mais eficiente. Com esta modernização, a Braskem estima a redução do consumo de energia equivalente ao de uma cidade com um milhão de habitantes.

Além da questão ambiental, reduzindo o gasto de energia elétrica, água e emissão de gases, a Braskem ainda visa, em parceria com a Prefeitura um cuidado com o entorno da fábrica, ajudando as comunidades na questão de zeladoria, manutenção e no campo social.


Continua depois da publicidade


Nesta quinta-feira (21) o prefeito Paulo Serra esteve na empresa e conheceu detalhes do projeto. "É um investimento muito positivo para a cidade nos mais diferentes aspectos. Além da questão da expansão e melhorias ambientais e sociais, é uma grande oportunidade de pensar no entorno, cuidar da população. Vamos juntos pensar em mais pontos dentro desta parceria", afirmou o prefeito.

 “Este projeto é um exemplo dos grandes esforços que a Braskem faz na busca da maior excelência operacional, além de reforçar nosso comprometimento com o desenvolvimento sustentável”, afirmou o diretor industrial da unidade de Químicos da Braskem no Sudeste, Luís Pazin. “Com a cogeração combinada de energia elétrica e gás, vamos consumir menos energia e emitir ainda menos gases de efeito estufa”, completou. A estimativa é de uma redução de 11,4% no consumo de água e de 6,3% nas emissões de CO2 da unidade.

O investimento começa neste ano e sua conclusão é prevista para 2021. Os recursos serão aportados pela Braskem em parceria com a Siemens, que irá construir e operar o sistema de cogeração de alta eficiência por meio de um contrato de longo prazo.

Inaugurada em 1972, a central de matérias-primas do ABC faz parte do primeiro Polo Petroquímico a entrar em operação no Brasil. Instalada em Santo André, a unidade é responsável por transformar matérias-primas com origem no petróleo, como a nafta, em produtos químicos básicos, como eteno, propeno, butadieno e resinas hidrocarbônicas, que dão origem a diversos materiais, como o plástico, utilizado em segmentos como construção civil, indústria automotiva, itens de higiene hospitalar, setor alimentício, embalagens, roupas e calçados.




Comentários