Laticínios Porto Alegre vai investir R$ 30 milhões em unidade no ES

O Laticínios Porto Alegre, de Minas Gerais, anunciou um investimento da ordem de R$ 30 milhões para a instalação de uma unidade na Região Sul do Espírito Santo. A decisão da empresa de investir no Estado foi motivada, principalmente, pela redução da alíquota do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) do leite industrializado no Espírito Santo, o que faz o custo de produção cair.

O anúncio foi realizado na quinta-feira (17), em reunião entre o governador do Estado, Renato Casagrande e o representante da empresa, no Palácio Anchieta, em Vitória.

De acordo com o diretor-presidente da Laticínios Porto Alegre, João Lúcio Barreto Carneiro, a fábrica deve ser instalada no município de Rio Novo do Sul e começará a operar até o final do primeiro trimestre de 2020. Mas, para isso, será preciso ainda finalizar a negociação do terreno onde a indústria será construída, uma área entre seis e dez hectares.

"A empresa está em um processo de crescimento e o objetivo é expandir nas regiões próximas a Minas Gerais. Em meio à guerra fiscal entre as unidades da federação, Estados estão diferenciando percentuais
de ICMS para quem industrializa localmente e fora. E esse foi um ponto crucial para investirmos no Espírito Santo, onde já temos um mercado forte", explica.


Continua depois da publicidade


Até o primeiro semestre de 2018, o leite industrializado em outros Estados e vendido no Espírito Santo pagava uma taxa de ICMS de 12%. Porém, a Assembleia Legislativa do Estado aprovou o Projeto de Lei (PL) 035/2018, que alterou uma parte da Lei n° 7.000, de 27 de dezembro de 2001, aumentando para 17% o ICMS do leite que não tiver origem capixaba. Com isso, o valor do imposto teve alta de 5 pontos percentuais para as fábricas de leite UTH de outros Estados.

Crescimento e empregos

Segundo Carneiro, a intenção da empresa é que todo o leite utilizado na fábrica capixaba seja produzido no Espírito Santo. Mesmo já tendo uma unidade de processamento em Dores do Rio Preto, responsável pela captação de 80 mil litros de leite de produtores da região, o laticínio escolheu construir a nova unidade em outro local para ter maior abrangência de coleta de leite.

Com isso, o processamento diário de leite pode chegar a 200 mil litros. Mas, para isso, será preciso implementar o quadro de pecuaristas. "Hoje 400 produtores fornecem leite para o nosso laticínio em Minas Gerais, mas com a instalação da fábrica capixaba, a expectativa é de que nosso quadro aumente e chegue a mil produtores no Espírito Santo", comenta.

A fábrica também deve gerar 100 empregos diretos para trabalhar na industrialização do leite UHT e na produção de muçarela. A unidade capixaba será a responsável por abastecer os mercados do Espírito Santo e Bahia, além de funcionar como um centro de distribuição dos outros itens do catálogo da empresa.

"Sabemos que quando uma indústria é construída no município ela cria um novo ânimo para o produtor, trazendo investimento e perspectiva de crescimento para ele. Além disso, quando o produtor produz em maior quantidade, ele reduz os custo de produção. Por isso, incentivamos o melhoramento genético do gado dos nossos colaboradores, para que os animais produzam cada vez mais", aponta.

A empresa

A Laticínios Porto Alegre foi fundada em 1991 na Fazenda Porto Alegre, em Rio Doce (MG). Ela é a maior produtora de leite de Minas Gerais e conta com três unidades no Estado mineiro; uma em Valença, no Rio de Janeiro; e a quinta no Espírito Santo.

As informações são da Gazeta Online e do Governo do Espírito Santo. 




Comentários