Empresa do Vale do São Francisco investe R$ 30 mi em nova fábrica


Continua depois da publicidade


Com um investimento de R$ 30 milhões, o Grupo Icofort Agroindustrial inaugura, oficialmente, no dia 13 de julho, em sua sede, na cidade de Juazeiro/BA, a mais moderna planta industrial de processamento de óleos vegetais e produção de margarina e gordura vegetal da região Nordeste. A indústria é a primeira projetada para produção de alimentos livre de gordura hidrogenada.

O novo parque industrial, localizado no Vale do São Francisco, já entrou em operação e se soma a outras duas unidades, de Juazeiro e Luís Eduardo Magalhães, ambas na Bahia. Juntas, possuem 282,5 mil m² de área. Líder no Nordeste no processamento de caroço de algodão (transformando em óleos, línter, torta e farelo animal), a empresa passa a gerar 500 empregos diretos e 1.200 indiretoscom o novo investimento. A ampliação do seu parque fabril dá fôlego ao projeto de expansão da participação no mercado food service brasileiro com seus óleos especiais, margarinas livres de gordura hidrogenada e gorduras vegetais.

Por safra, o parque fabril da Icofort pode processar até 240 mil toneladas de caroço de algodão, mais de 3 milhões de sacas de ingredientes para nutrição animal, mais de 1 milhão de caixas de óleo comestível, 7 mil toneladas de línter, 30 mil toneladas de óleo bruto de algodão e 60 mil toneladas de óleo refinado a granel. De acordo com dados da empresa, desde 2000, ano de sua fundação, a Icofort já forneceu mais de dois milhões de caixas de óleo ao mercado e seis milhões de sacas de ingredientes para nutrição animal.


Continua depois da publicidade


Além da potência produtiva, a Icofort possui uma moderna logística de frotas própria e terceirizada. Para atender a todo território nacional, a empresa investiu numa frota terrestre de carretas, trucks , bi-trens tanques, furgões e graneleiros.

Qualidade dos produtos

A qualidade e eficiência dos produtos já foram descobertas por grandes marcas e redes nacionais que usam a produção da Icofort. “Fabricamos o mais puro óleo do algodão. Um óleo cheio de saudabilidade, rico em vitamina E, Ômegas 3 e 6. Deixa os alimentos mais secos, crocantes e saborosos. O mercado está muito receptivo aos nossos produtos”, explica o diretor-presidente da empresa, Décio Alves Barreto Júnior.

O diretor comercial da empresa, Luis Fernando Dias destaca ainda o bom aproveitamento da matéria prima e conta que, após a extração do óleo, os resíduos dos caroços são transformados em farelo e torta de algodão, ingredientes para a nutrição animal de elevado valor energético. “A torta e o farelo podem ser consumidos por bovinos, caprinos, ovinos e ruminantes. Rico em proteína, óleo, fibras e de eficiente digestão, este alimento é garantia de aumento na produção de leite e ganho de peso para o gado”, atesta o diretor.

Tópicos:



Comentários