China mantém a liderança na importação de produtos brasileiros

Exportações brasileiras seguem em alta, embora resultado mensal apresente recuo como reflexo da greve dos caminhoneiros


Continua depois da publicidade


As exportações brasileiras somaram US$ 223,44 bilhões no acumulado de 12 meses, com a China na liderança das importações e a soja batendo recorde de 12 milhões de toneladas nos embarques. Em todos os mercados analisados pelo Ceper/Fundace no Boletim Comércio Exterior de junho, houve aumento das exportações principalmente para o Chile e a Argentina, que registraram crescimento de 20,7% e 20,1%,respectivamente.

Embora o bom desempenho no acumulado, o resultado mensal foi de queda. As vendas externas totalizaram US$ 19,24 bilhões em maio de 2018, decréscimo de 2,45% em relação ao mês anterior e de 2,77% em relação a maio de 2017. O recuo foi reflexo da greve dos caminhoneiros. Nos dias da paralisação, a média diária das exportações reduziu 36%. Os dados são baseados nos indicadores da Comex.

Na Região Metropolitana de Ribeirão Preto (RMRP), houve crescimento exponencial de 89,2% nas exportações para a Coréia do Sul no acumulado de 12 meses. As vendas para Holanda, Estados Unidos e Reino Unido tiveram crescimento de 11,2%, 12,2%, e 43%, respectivamente, enquanto a China, principal destino dos produtos da região, surpreendeu com o registro de queda (-34,5%), assim como a Nigéria (-41,6%).


Continua depois da publicidade


Ribeirão Preto apresentou alta expressiva das exportações para os Estados Unidos, atingindo quase US$ 39 milhões, variação de 95,7% em relação aos 12 meses anteriores. Houve ainda crescimento das exportações para a Malásia (12,9%) e México (1,2%). No período, os destinos com queda relevante foram China (36,3%), Argentina (14,6%) e Chile (6,3%).

Principal mercado de Sertãozinho, os embarques para a China tiveram aumento de 23% no acumulado de maio a maio, totalizando US$ 267 milhões. Alta também registrada nas exportações para Bangladesh (71,4%), Egito (25,8%) e Arábia Saudita (24,6%). O pior desempenho do período foi nas vendas para a Índia, que teve redução de 41,6%. As exportações para a Malásia tiveram uma trajetória peculiar: no acumulado de 12 meses até maio/16, as vendas para esse país eram quase inexistentes. Já, no acumulado até maio/18, as exportações totalizaram um valor de US$ 38,6 milhões.

“Mesmo com o cenário favorável, as inquietações nos cenários interno e externo, vindos de incertezas políticas e econômicas, ainda podem provocar oscilações de mercado e quebra de perspectivas”, avalia Luciano Nakabashi, pesquisador do CEPER e coordenador do Boletim Comércio Exterior, elaborado em conjunto com os pesquisadores Francielly Almeida e Armando Henrique.

Os dados completos do Boletim Comércio Exterior podem ser acessados no site da Fundace: https://www.fundace.org.br/_up_ceper_boletim/ceper_201806_00375.pdf




Comentários