Sistema de Gestão Ambiental

Fonte: CIMM - 31/10/07

Entrevista com Cristiano Henrique Sieber de Oliveira   
      

Biólogo da EMBRACO formado na UFSC com mestrado em Engenharia Ambiental também pela UFSC. Especilista de meio ambiente da EMBRACO e auditor ambiental registrado na Inglaterra.

CIMM- Como você definiria um Sistema de Gestão Ambiental?

Um SGA é um conjunto de medidas que devem ser tomadas por uma organização a fim de gerenciar de forma efetiva suas questões ambientais. Três devem ser seus pilares de sustentação, sendo eles a prevenção da poluição, atendimento da legislação ambiental vigente e melhoria contínua do Sistema. É importante que fique claro que um Sistema de Gestão Ambiental não necessariamente deva seguir as recomendações da norma ambiental ISO 14001. Ele pode ter sua estruturação diferenciada daquela determinada na norma, como é o caso dos Sistemas implantados pelas indústrias americanas de um modo geral.

CIMM- Como foi a sua participação na implantação do Sistema de Gestão Ambiental da Embraco?

Tive participação efetiva em todo o processo já que trabalho diretamente com o Coordenador Corporativo de Meio Ambiente que também foi a pessoa designada para coordenar o trabalho de implantação do Sistema de Gestão Ambiental da Embraco em sua plantas no Brasil. Logo, pude ter o privilégio de participar do levantamento de aspectos e impactos ambientais, identificação da legislação ambiental, fiz parte da equipe coordenadora dos eventos de conscientização ambiental, fui designado para fazer parte do corpo de auditores da qualidade, meio ambiente, saúde e segurança, entre outros trabalhos.

CIMM- Como você esquematizaria um programa de gestão ambiental (etapas, requisitos, legislação, gerenciamento, treinamento, etc).

Na minha opinião, a forma como está estruturado o SGA de acordo com a norma ISO 14001 está de bom tamanho. Costumamos dizer que os pontos mais importantes da implementação de um SGA são o levantamento de aspectos ambientais que é o "coração" do Sistema e a conscientização ambiental que é a "alma" do negócio, pois neste ponto estamos trabalhando com a cultura das pessoas. Outro ponto que se deve tomar muita atenção é quanto ao levantamento e implementação de toda a legislação ambiental vigente, a qual é numerosa e muitas vezes de difícil compreensão.

CIMM- O que mais lhe agradou no decorrer deste trabalho?

Um fator que muito me agradou e me motivou foi o reconhecimento, por parte das pessoas que integram a empresa, da importância da implantação do SGA para a organização. Este fato ficou mais evidente na semana da conscientização ambiental, quando observamos que a participação das pessoas foi acima do esperado.

CIMM- Qual foi o retorno mais importante para a empresa?

Não existe um retorno mais importante. Existem vários, sendo que alguns deles não se tem como medir. Funcionários melhor conscientizados, mais motivados, aumento no número de projetos ambientais e diminuição da probabilidade de ocorrência de passivos ambientais futuros são alguns exemplos de ganhos para a organização.

CIMM- O que você diria a um empresário que deseja começar um programa deste tipo em uma empresa de pequeno/médio porte?

Na minha opinião, todas as empresas deveriam possuir um SGA independentemente de seu tamanho e do objetivo de certificação. Atualmente, existem várias linhas de financiamento para projetos ambientais voltados à empresas de pequeno e médio portes. Logo, não é tarde para se implantar um SGA, embora saibamos que aquelas empresas que não o fizerem, num futuro próximo estarão atrasadas em relação a aquelas que o implementarem.

CIMM- Houve mudanças na atitude dos funcionários com a implantação do SGA?

Sim, eles ficaram mais motivados e muito mais participantes dos projetos ambientais existentes na empresa.
Tópicos:



Comentários