Greve na Chery completa um mês em Jacareí

Montadora fez nova proposta, que irá a assembleia na segunda de manhã.

A greve na fábrica da Chery em Jacareí (SP) completa um mês neste sábado, mas pode terminar na segunda-feira, 30. Em uma reunião com o sindicato dos metalúrgicos na sexta-feira (27), a montadora fez nova proposta, que será levada aos trabalhadores na manhã de segunda-feira em assembleia. Nem a empresa nem o sindicato informam os números dessa proposta.

A paralisação começou em 28 de setembro com a reivindicação de 9,2% de reajuste de salário, manutenção de direitos trabalhistas previstos em acordo coletivo e elaboração de um plano de cargos e salários. Na semana passada, em reunião entre a montadora e o sindicato realizada no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), uma proposta de 3,73% de reajuste foi aceita pelos trabalhadores, mas recusada pela Chery. 

Também nesse meio-tempo descobriu-se que a matriz da montadora pôs à venda metade da fábrica brasileira (veja aqui), mas os representantes da Chery do Brasil não falaram a respeito até agora.

Estima-se que 650 carros deixaram de ser produzidos desde o início da greve. Os metalúrgicos vinham montando o QQ e já faziam testes com o Tiggo 2, cujo lançamento estava programado para este ano. 


Continua depois da publicidade


O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região afirma que os trabalhadores ainda não receberam o adiantamento que seria pago no dia 13 de outubro, o que fere a Lei de Greve (nº 7.783/89). A montadora informa que realizou os depósitos para aqueles que não aderiram à paralisação e se comprometeu a fazer o pagamento no dia 31 a todos, inclusive aos grevistas.

Trabalhadores da GM de São José conseguem renovação de direitos

Os metalúrgicos da General Motors de São José dos Campos (SP) conseguiram a renovação de todos os direitos previstos no Acordo Coletivo de Trabalho, inclusive a garantia de estabilidade no emprego para lesionados. A aprovação do acordo ocorreu na sexta-feira, 27, em assembleia. 

Os trabalhadores também terão 1,73% de reajuste salarial, o equivalente à inflação de setembro de 2016 a agosto de 2017. A categoria metalúrgica está em campanha salarial, com data-base em 1º de setembro. O reajuste será retroativo a esse período. 




Comentários