Siemens fornece equipamentos de geração distribuída para projeto da empresa Tecnogera

Solução vem para aumentar rede de abastecimento de água em São Paulo.

A Siemens acaba de realizar a venda de grupos geradores a gás natural para a Tecnogera, empresa com mais de 10 anos de mercado especializada em soluções completas em energia temporária, que está ampliando seu portfólio de atuação por meio da operação de planta movida a gás. Os grupos geradores, modelo SFGLD 560, juntos vão oferecer potência instalada de 14,5 MVA.

Os equipamentos produzidos na fábrica da empresa na Espanha serão utilizados para garantir energia distribuída para o bombeamento de água da interligação Rio Grande-Taiaçupeba, em Ribeirão Pires, São Paulo. A solução Siemens vai permitir a geração de energia necessária para mover o volume de água de 4m³/s (4.000 litros por segundo) para abastecer cerca de cinco milhões de pessoas no estado de São Paulo. O projeto inclui os grupos geradores, serviços de comissionamento e manutenção preventiva, graças à estrutura consolidada da Siemens no Brasil.

“Nossa estrutura consolidada no Brasil e a agilidade no atendimento foram fatores decisivos para que a Tecnogera nos escolhesse para a parceria neste projeto desafiador com a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), explica Guilherme Mattos, diretor da área de Energia Distribuída da Siemens. “Nossa equipe de engenharia e de serviços foi bastante demandada para realizar o comissionamento em tempo. Ainda temos um contrato de manutenção para gerar a maior disponibilidade para a geração da planta”, complementa.

A interligação entre o sistema Rio Grande (que faz parte da Represa Billings) e o Alto Tietê (represa Taiaçupeba), foi uma das principais intervenções do governo do estado de São Paulo após a crise hídrica de 2014, com o objetivo de diminuir o uso do Sistema Cantareira. Nessa época, São Paulo passou por um período de escassez e racionamento de água, já que a falta de chuva baixou o nível das represas. A parceria Siemens/Tecnogera irá gerar a energia necessária para mover grandes volumes de água através de um aqueduto de mais de 10 km de extensão.

Tópicos:



Comentários