Romi fecha parceria com Siemens PLM para soluções de manufatura avançada

A Indústrias Romi S.A., empresa brasileira, líder nos mercados de máquinas-ferramenta e máquinas para processamento de plásticos e importante produtora de fundidos e usinados, está implementando em toda a cadeia de desenvolvimento soluções de PLM da Siemens. Com a proposta de otimização da produtividade, aumento de desempenho na elaboração de novos projetos e redução do tempo de desenvolvimento no processo de fabricação de suas peças, a Romi está investindo em tecnologia PLM alinhada ao conceito de manufatura avançada para ganhar tempo no lançamento de produtos no mercado.

Segundo Douglas Pedro de Alcântara, gerente de desenvolvimento de produtos - máquinas-ferramenta da ROMI, a unificação da plataforma utilizada permite o aumento do desempenho dos colaboradores e o reuso de informações de projetos anteriores, gerando assim a redução do tempo de produção e o lançamento mais rápido de novas máquinas no mercado. “Esse será o principal ganho em termos de tempo para e empresa: ganhar tempo no lançamento de novos produtos”, explica.

Para a fabricação de uma nova linha de máquinas, a Romi estima poder reduzir substancialmente o tempo de desenvolvimento de novos produtos com a implementação das soluções NX CAE, NX CAD e Teamcenter, todas Siemens PLM. “Quanto mais cedo um produto é lançado no mercado, mais cedo ele começa a reverter o investimento da empresa para sua produção”, afirma.

Segundo ele, o cenário anterior ao projeto com tecnologia Siemens era de um ambiente com ferramentas de CAD, PLM, banco de dados (MRP) de múltiplos fornecedores. A comunicação entre os softwares era muito complicada, necessitando de constante intervenção externa para que o ambiente funcionasse, ocasionando alto investimentos e gastos recorrentes. Uma das necessidades da Romi era a de unificação das ferramentas com um fornecedor abrangendo toda a cadeia de desenvolvimento, desde o desenho até a estruturação dentro do banco de dados.


Continua depois da publicidade


Alcântara explica que o objetivo sempre foi melhorar o desempenho no desenvolvimento de novos produtos com redução de tempo de produção. “O reuso de componentes, a unificação e a padronização dos projetos garantem um processo de desenvolvimento mais otimizado e ágil para a empresa” afirma o executivo. “Temos a convicção de que a integração dos sistemas relacionados com o desenvolvimento do produto, desde o projeto, estruturação e fabricação, permitirá um enorme salto da empresa em termos de otimização no processo de fabricação de máquinas. A busca pela unificação de padronização de componentes foi um dos requisitos desse novo sistema que estávamos buscando e que encontramos na Siemens PLM”, conclui.




Comentários