Metalurgia e Powergrid Brasil apontam para início de reação do mercado

Nos quatro dias de evento passaram pela Expoville em torno de 12 mil pessoas, de 15 países.

Nos quatro dias de Metalurgia e Powergrid Brasil passaram pela Expoville em torno de 12 mil pessoas, de 15 países (Alemanha, Argentina, Bolívia, Brasil, Canadá, Dinamarca, Espanha, Estados Unidos, França, Itália, Japão, México, Panamá, Paraguai, Peru) para visitarem as novidades de 150 marcas ligadas aos setores de fundição e de energia, de oito estados brasileiros.

Os visitantes brasileiros também vieram de diversos estados (Bahia, Ceará, Espirito Santo, Goiás, Minas Gerais, Paraná, Paraíba, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Rondônia, Santa Catarina e São Paulo), em busca de alternativas para aumentar a eficiência produtiva de suas empresas.

Das áreas de atuação, 53% do público que passou pela Expoville atua nos setores de fundição, engenharia, automotivo, energia, serviços e construção civil. Entre os objetivos de visitação, destacam-se conhecer novos produtos (41,87%), conhecer novos fornecedores (24,30%) e desenvolver parcerias (15,48%).

“Meu objetivo aqui é fechar parcerias e já consegui diversos novos contatos. Os expositores são de qualidade e encontrei muita coisa nova. Estou satisfeito”, comentou Fábio Carlomagno, comercial da Automotion, empresa de São Paulo que recentemente abriu uma unidade em Blumenau.


Continua depois da publicidade


A expectativa dos organizadores é que nos próximos 12 meses sejam gerados em torno de R$ 260 milhões em negócios, a partir dos contatos iniciados na Metalurgia e Powergrid Brasil.

Para Diogo Gustavo Jung, diretor industrial da Jung, os negócios já iniciaram: “A Metalurgia é fundamental para a Jung. Fechamos alguns negócios que estavam em andamento e inclusive estabelecemos contatos para projetos no exterior. Estamos muito satisfeitos e otimistas com o pós-feira”.

Os contatos realizados nas feiras também mereceram destaque por parte dos expositores. “A Metalurgia é a feira mais importante para nós. Aqui fazemos uma boa captação de negócios. Tivemos a visita de uma empresa do Peru, por exemplo, que certamente irá adquirir nossos produtos. Além dela, fizemos outros bons contatos”, contou Antonio Arildo Delponte, diretor comercial da Refratek.

Renato Velloso, especialista de produto da H. Strattner, segue a mesma opinião e destaca a visitação em seu estande. “Sempre participamos das feiras da Messe Brasil aqui em Joinville, principalmente porque aqui temos um polo industrial muito importante para o nosso negócio. Nesta edição da Metalurgia tivemos bons contatos que poderão ser revertidos em negócios futuros. Apesar do momento de crise, sairemos daqui com boas prospecções de negócios”, destacou.

A empresa Verde Luz também já participou de outras edições e mostrou-se satisfeita já no terceiro dia de evento. “A Metalurgia sempre dá resultados e esta edição está sendo fantástica. Estabelecemos novos contatos, inclusive com outros expositores. Estamos muito satisfeitos”, destacou Michael Capello, designer industrial da Verde Luz.

A 4ª Powergrid Brasil trouxe gigantes do setor energético para apresentar suas soluções em geração, negociação e consumo de energia, como Votorantim Energia, CPFL Brasil e Comerc.

“Santa Catarina é um estado muito relevante no ponto de vista de empresas que atuam no mercado livre de energia. Além disso, aqui temos empresas atuando em segmentos diversificados e isso nos interessa. Vemos isso como um grande potencial para nós. Para a CPFL Brasil, estar na Powergrid é essencial”, mencionou Daniel Marrocos Camposilvan, diretor de mercado da CPFL Brasil.

Wagner Avelino Folster, gerente comercial da Comerc Energia, também salientou a relevância do estado catarinense para a empresa e a expectativa de novos clientes: “20% da nossa carteira de clientes está centrada em Santa Catarina. O estado tem muito potencial e aqui na Powergrid Brasil, além de recebermos nossos clientes, conseguimos contatos de empresas que têm muito potencial para migrarem para o mercado livre de energia”.




Comentários