Metodologia para manufatura de peças disponível na internet

Sistema integra etapas do ciclo de produção de peças rotacionais

Fonte e foto: CIMM -16/07/07

O WebMachining é uma metodologia de implementação computacional voltada para a manufatura de peças rotacionais em Centro de Torneamento Galaxy 15M. Seu maior diferencial é permitir a integração via Internet das etapas de projeto (CAD), planejamento de processo (CAPP) e fabricação (CAM) durante o desenvolvimento de peças que serão usinadas em centros de torneamento.

O sistema está on-line (http://WebMachining.AlvaresTech.com), o que permite sua utilização. "A vantagem é que a metodologia foi desenvolvida computacionalmente validando a proposta. Antes do WebMachining  não existia essa possibilidade, só encontrávamos descrições e avaliações de metodologias na literatura para viabilizar essa integração CAD/CAPP/CAM", explica Alberto Álvares, professor responsável pelo desenvolvimento do método.

O procedimento inicia-se na modelagem de uma peça por features num contexto de manufatura remota utilizando a Web como meio de comunicação, num modelo computacional cliente-servidor. Constitui-se num conjunto de especificações, técnicas e algoritmos utilizados para a definição funcional dos módulos de um sistema. Além de definir estes módulos, especifica a maneira que interagem entre si.

Os sistemas desenvolvidos a partir do WebMachining  podem ser aplicados na academia, como por exemplo no ensino a distância e em indústrias. Neste ramo podem ser inseridos como parte de um serviço de Prototipagem Rápida para Try-Out de peças, para o fornecimento de protótipos funcionais para a própria empresa ou clientes remotos num ambiente de Telemanufatura, podendo também ser integrado à Gestão da Produção fornecendo planos alternativos para o sistema de agendamento da produção, em tempo real.

Permite que uma empresa que não possua necessariamente os equipamentos (hardware e software) para a produção de um lote de peças utilize sistemas de manufatura remotos, além de possibilitar o contato direto entre a empresa de fabricação e seus clientes.

Além de Álvares, do Departamento de Engenharia Mecânica e Mecatrônica da UnB, o projeto tem a participação do GRIMA/GRUCON, Grupo de Integração da Manufatura da UFSC, recebe o apoio do Instituto Fábrica do Milênio e da Manet (Rede de Automação da Manufatura). As pesquisas continuam para aprimorar e complementar o método e seu sistema computacional. "Trata-se de uma metodologia genérica que pode ser utilizada em diferentes processos, por isso a importância de prosseguir com os estudos", esclarece Álvares.

Tópicos:
  



Comentários