Centro de R$ 4 milhões é inaugurado para ajudar empresas da RM Vale

Local terá softwares e equipamento de última geração.

O Cecompi (Centro para a Competitividade e Inovação) inaugurou na manhã da última quinta-feira (25), o CDM (Centro de Desenvolvimento em Manufatura) no Parque Tecnológico de São José dos Campos.

O Centro é resultado de uma parceria entre a Prefeitura de São José, o Governo do Estado de São Paulo e o BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento). Ao todo foram investidos R$ 4,2 milhões - R$ 3,5 milhões aplicados pelo governo estadual e R$ 700 mil pela prefeitura e Parque Tecnológico.

"O CDM irá possibilitar a pesquisa e o desenvolvimento de novos processos e produtos por empresas de pequeno e médio porte que não dispõem de espaço ou tempo, mas querem investir em P&D", afirmou Marcelo Sáfadi, diretor executivo do Cecompi.

Com equipamentos de ponta, o CDM poderá prestar serviços como desenhos e desenvolvimento de produto CAD, programação para CNC/CAM, usinagem em CNC de peças de pequeno porte em três, quatro e cinco eixos, prototipagem rápida com impressoras 3D, scanner 3D para engenharia reversa, mesa de medição tridimensional,  máquina de eletroerosão a fio, entre outros.

"Alguns destes equipamentos até já existem em laboratórios de universidades, por exemplo, mas o nosso diferencial é o acesso que as empresas terão para o uso de todo o CDM. Mesmo quem não está instalado hoje no Parque Tecnológico poderá utilizar", explica Marcelo Nunes, coordenador do cluster TIC Vale, que administrará o CDM.

O presidente da Troya Indústria de Máquinas e Engenharia, Francilio Graciano, que é associado ao cluster aeroespacial do Cecompi e possui uma unidade de pesquisa instalada no Parque Tecnológico, explica como o CDM vai ajudar as empresas da região.

"Com o CDM pronto para uso, com equipamentos de ultima geração, ao invés de comprar uma máquina e ter que perder um tempo testando ou treinando funcionário, posso produzir peças no CDM ou desenvolver um novo produto, sem precisar parar minha produção e ainda sem ter que pagar pelo equipamento, só pela utilização, o que sai muito mais barato e mais ágil", explica Graciano.


Continua depois da publicidade


O empresário destaca ainda que o acesso ao que existe de mais moderno em manufatura, coloca as indústrias da região próxima da realidade do mercado externo e as torna mais competitivas.

"São os mesmos equipamentos que estão nas grandes usinagens e centros de manufatura no mundo. Equipamentos caros, modernos e que elevam a qualidade dos produtos que fabricamos e nos coloca num outro patamar, capazes de competir com outras pequenas indústrias de todo o mundo e conquistar novos mercados", conclui.

Estrutura laboratorial  

Com o novo Centro, cresce a estrutura laboratorial que o Parque Tecnológico e o Cecompi oferecem às empresas, instituições de pesquisa e universidades. Além do novo laboratório, os associados aos clusters e residentes no Parque já contam com o Laboratório de Simulação e Sistemas Críticos e o Laboratório de Estruturas Leves.

Ainda em 2016 outros dois laboratórios, em fase de projeto e construção, serão entregues: de Compatibilidade Eletromagnética e de Interferência Eletromagnética.

"A economia de São José dos Campos é centrada na indústria, portanto investir em manufatura, em automatização e em aperfeiçoamento de processos é crucial. Neste novo Centro temos equipamentos que vão ajudar, ao lado de toda nossa estrutura laboratorial, no desenvolvimento não apenas das empresas residentes aqui no Parque ou associadas aos clusters do Cecompi, mas de toda a região", afirma Marco Antonio Raupp, diretor geral do Parque Tecnológico.




Comentários