Abimaq diz que é preciso mais R$ 2,5 bi de crédito para o setor agrícola

"Estamos trabalhando forte com o governo para que as vendas desse setor não sejam atrapalhadas", diz o presidnete da Abimaq, Carlos Pastoriza.

O presidente da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), Carlos Pastoriza, afirmou na última quarta-feira (24) que o setor precisa de pelo menos mais R$ 2,5 bilhões em créditos para o ano safra 2015/2016, que acaba em junho. "O BNDES está sinalizando que pode remanejar linhas remanescentes que não foram usadas, como o ABC, Pronamp, entre outros", informou. Segundo ele, se tal montante for viabilizado, as vendas da Agrishow 2016, que será realizada no final de abril, não serão prejudicadas.

"O setor de agronegócio é um dos poucos que ainda está bem. Estamos com boas expectativas para a edição deste ano da Agrishow e estamos trabalhando forte com o governo para que as vendas desse setor não sejam atrapalhadas pela falta de financiamento", afirmou Pastoriza. "Nesse contexto estão as discussões sobre o Moderfrota. E discutiremos depois os recursos para a safra 2016/17", complementou.

Para a Abimaq, o setor agrícola, dentro do segmento de máquinas e equipamentos, terá seu faturamento reduzido entre 10% e 15% em 2016, um resultado até "bom" ante uma queda brusca em 2014 e resultado também negativo em 2015. "O agricultor está bem, mas não quer dizer que ele esteja investindo na atividade. No ano passado o custeio e o pré-custeio não saíram e o investimento foi inibido", explicou o executivo.




Comentários