Dassault Systèmes quer ampliar atuação em regiões pouco exploradas pelo mercado de CAD

Países andinos da América do Sul e as regiões Norte e Nordeste são os principais focos da companhia.

A companhia francesa de tecnologia, Dassault Systèmes, pretende ampliar o número de revendas do software SolidWorks na América do Sul. A empresa foca a busca por revendas em países que apresentam maior estabilidade e crescimento econômico, ainda que estimem resultados mais expressivos daqui a, pelo menos, três anos. Explorar novos mercados também é uma estratégia para suprir a queda da demanda no principal mercado da América do Sul: o Brasil representa de 70% a 80% do mercado da região.

Segundo o diretor da Dassault Systèmes, responsável por SolidWorks para a América Latina, Mario Belesi, ­aumentar o número de parceiros é uma das principais estratégias comerciais para o próximo ano. Mais de 50 revendas já estão em prospecção e a meta é dobrar ano que vem, de acordo com Belesi. O foco está em áreas até então pouco exploradas pelo mercado de CAD, como o Norte e o Nordeste do Brasil, bem como os países andinos da América do Sul.

Para fortalecer a ação, o executivo Eduardo Oliveira, especialista na ampliação estratégica de novos mercados, foi recrutado há dois meses para a equipe e assumiu o cargo de Channel Recruitment Manager. Desde então já iniciaram o trabalho de visitas em locais estratégicos da América do Sul. “É um trabalho muito mais de qualidade do que de quantidade”, diz Belesi.

A expansão da empresa também acontece na estrutura do escritório da América Latina, localizado no Brasil, que triplicará de tamanho. “Essa é a agressividade que a Dassault Systèmes, e o SolidWorks estão trabalhando na América Latina”, ressalta o executivo.

Trial

Outra estratégia anunciada pelos executivos a jornalistas, nesta quarta-feira (11), em São Paulo, durante o lançamento do SolidWorks 2016, é a disponibilização de um trial do software através do browser.  “Mesmo depois de 20 anos, a SolidWorks mantém a mesma ideia, de que não é preciso ser um PHD para usar o software”, conta o gerente técnico SolidWorks da América Latina,  Marcelo Hendler. Hendler explica que a tendência é que outras soluções sejam democratizadas e acessíveis para perfis diferenciados de profissionais que utilizam e necessitam do software.


Continua depois da publicidade


O trial estará disponível a partir do próximo mês, de maneira a simplificar o processo de licença de avaliação, até então realizada pelas revendas. “Com a pulverização do SolidWorks, precisamos facilitar o acesso”, completa Mario Belesi. O software ficará disponível por três dias para testes do usuário e poderá ser encontrado no MySolidWorks.

Pirataria

A América Latina é uma das regiões com maior número de usuários ilegais do SolidWorks, por isso a empresa pretende reverter em clientes efetivos aqueles usuários que utilizam o software pirata. Foram mais de 150 casos de usuários ilegais que se tornaram clientes SolidWorks nesse ano e Belesi almeja dobrar essa meta em 2016. 




Comentários