Intermach: Feira serve de vitrine da indústria catarinense

Presidente da Fiesc, Glauco José Côrte, palestrou durante a abertura do evento, em Joinville.

Um estudo realizado pela Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc) indicou que, no ano passado, 78% dos executivos entrevistados pela entidade pretendiam realizar investimentos em 2015. Apesar de a economia mostrar sinais de desaquecimento, 69% ainda pretendiam investir, segundo o presidente da Fiesc, Glauco José Côrte, durante cerimônia de abertura da 10ª Intermach. O representante da entidade industrial catarinense palestrou na última terça-feira (1), em Joinville (SC).

Esse foi um dos poucos dados positivos mostrados por Côrte, que lamentou a “crise econômica, política e ética” que o Brasil vem enfrentando. “A associação desses três fatores é que está causando essa situação”, afirmou. 

Entretanto, o presidente da Fiesc destacou como a indústria catarinense tem se mantida acima da média brasileira nesse momento. A perda da produção mensal no Estado, por exemplo, é de - 6,2%, enquanto a média brasileira é de -6,3%. Hoje, Santa Catarina possui cerca de 50 mil indústrias e nela estão concentrados 39% dos empregos do Estado.  Santa Catarina é, hoje, o segundo Estado com maior saldo de emprego acumulado do País.


Continua depois da publicidade


Indústria catarinense

Eventos regionais, a exemplo da Intermach, servem de vitrine para a indústria local, como lembrou o diretor da Messe Brasil (leia aqui), durante a cerimônia de abertura do evento. Empresas de todo o Estado, principalmente polos industriais como a cidade sede da Intermach, Joinville, e as regiões de Criciúma e Blumenau estiveram presentes na feira.

Para Kleiton Gomes, da JMK Máquinas, participar da feira tem um objetivo direto: ser visto. Recém reformulada, a empresa de três anos, busca divulgar sua marca e produtos, como a rebobinadeira de pallets exposta no estande colaborativo. Com uma carta de clientes especialmente de fora do Estado, a empresa de Criciúma – Sul de Santa Catarina – participa pela primeira vez da Intermach. “Sou obrigado a fortalecer na minha região”, diz Gomes.

A JMK Máquinas é uma das empresas do estande colaborativo do Sebrae-SC.
Imagem: Karina Pizzini/ Grupo CIMM

Junto com JMK e outras empresas que compartilham o estande Sebrae está a Industrial Rocha, há 18 anos no mercado. A empresa joinvillense é especializada em peças de reposição e manutenção. O diretor da empresa, José Luiz Rocha explica que, devido ao caráter específico do serviço que fornece, a feira serve especialmente para “rever alguns clientes que já conhecem e confiam" no seu trabalho. A Industrial Rocha tem clientes em todo o Estado.

Daniel Vess, da Dadefer Usinagem, esteve na feira em busca de novas tecnologias e conhecimento para levar à empresa de Guabiruba - cidade do Vale do Itajaí. André Vier e Neilor Vier são de Blumenau e estavam de olho em novas tecnologias para investimentos futuros da TRG Fitness, fabricante e comercializadora de equipamentos de ginástica. Máquinas de corte a laser e impressoras 3D foram as tecnologias que mais chamaram a atenção dos empresários.

Tópicos:



Comentários