Visteon conclui venda de sua participação de 70% na HVCC

Hahnn & Company e Hankook Tire compram ações por US$ 3,6 bilhões.

A Visteon conclui a venda dos 70% de participação que mantinha da HVCC, Halla Visteon Climate Controls, especializada em sistemas de climatização, pelo valor de US$ 3,6 bilhões, conforme já havia anunciado em dezembro de 2014. A maior parte, de 50,5%, foi adquirida pelo fundo de private equity Hahnn & Company, enquanto os 19,5% restantes passaram para as mãos da Hankook Tire, fabricante coreana de pneus.

Nascida em 2013 com a integração das operações de sistemas de climatização automotiva da Halla e a Visteon, a primeira fábrica da HVCC no Brasil é um dos resultados dessa fusão. Inaugurada em agosto de 2014 em Atibaia (SP), a unidade produz módulos HVAC, sigla em inglês para aquecimento, ventilação e ar-condicionado. Com a filial brasileira, a companhia alcança a marca de 35 plantas em 19 países.

Já a Visteon, com o fim da transação, torna-se um fornecedor da indústria automotiva puramente focado em tecnologia eletrônica para veículos e soluções de conectividade e infoentretenimento.

“Com o um forte portfólio de produtos eletrônicos e com uma base de clientes diversificada e de presença global inigualável, estamos focados e bem posicionados para apoiá-los na nova era do veículo conectado”, disse Francis Scricco, presidente do conselho da Visteon.

A empresa aproveitou o anúncio para reforçar seu plano de retorno de capital dos acionistas que deverá ser executado a partir do segundo semestre deste ano. A Visteon espera o retorno de US$ 2,5 bilhões a US$ 2,75 bilhões ao longo dos próximos 12 meses por meio de uma série de ações, incluindo a recompra de ações e distribuições especiais, esta última a partir de 2016. A primeira ação prevista é um programa de recompra acelerada de ações a ser executado até 31 de dezembro deste ano, no valor limitado a US$ 500 milhões, uma vez que devido ao impacto negativo que um programa de retorno de capital exerce sobre a mudança no cálculo de controle, as taxas e tributos do período podem exceder US$ 1 bilhão.




Comentários