Metade dos investimentos do Paraná Competitivo já está em operação

Dos R$ 35 bilhões confirmados nos últimos quatro anos, R$ 16 bilhões estão com suas fábricas em funcionamento.

Metade dos empreendimentos beneficiados pelo programa Paraná Competitivo já está em operação. Dos R$ 35 bilhões confirmados nos últimos quatro anos, R$ 16 bilhões estão com suas fábricas em funcionamento, gerando emprego e renda em municípios de todas as regiões do Estado.

"O Paraná colhe frutos de uma arrojada política de atração de investimentos iniciada nos primeiros meses de 2011. Modernizamos e flexibilizamos os incentivos à iniciativa privada. As análises são feitas caso a caso e levando em conta o interesse público. Com responsabilidade, segurança jurídica e respeito aos contratos estabelecemos no Paraná o melhor ambiente para negócios no Brasil", afirma o governador Beto Richa.

Entre as unidades que iniciaram a operação está a Cargill, em Castro. A multinacional norte-americana investiu R$ 500 milhões na unidade criando 200 empregos diretos. Foi um dos primeiros investimentos negociados pelo governo estadual, ainda em 2011. Também negociada há três anos, a usina de biodiesel da Potencial Petróleo está em funcionamento e emprega mais de 100 funcionários na Lapa.

O polo automotivo do Paraná conta com novas fábricas e linhas de montagem em operação. A japonesa Sumitomo produz pneus em Fazenda Rio Grande, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), a primeira fábrica na América do Sul; a norte-americana Paccar já iniciou a fabricação dos caminhões da marca DAF em Ponta Grossa, nos Campos Gerais, e a francesa Renault investiu mais de R$ 1,5 bilhão na modernização e ampliação da unidade em São José dos Pinhais (RMC). A Volskwagen/Audi, Catterpillar e a Volto também ampliaram as suas operações com benefícios do Paraná Competitivo.

Interior

No Interior, a Pro-Tork iniciou, com o apoio do Governo do Estado, a fabricação de motos em Siqueira Campos; a Prati Donaduzzi ampliou a produção de medicamentos genéricos em Toledo; as cooperativas Capal, Castrolanda e Batavo inauguraram um dos mais modernos moinhos do país em Ponta Grossa com investimentos de R$ 60 milhões.


Continua depois da publicidade


Também receberam benefícios a construção da fábrica de suco da Agro Pratinha em Paranavaí, no Noroeste, e a ampliação de unidades da Cooperatiuva Coasul em São João, abatedouros e unidades do grupo GT Foods em 10 municípios e da fábrica da Romagnole, em Mandaguari.

"A interiorização dos investimentos é um dos principais focos do programa. Quanto mais ao interior, maiores são os benefícios. Cerca de 75 % dos investimentos consolidados pelo Paraná Competitivo estão em cidades do interior", reforça Richa.

2014

Nos últimos 12 meses mais de 45 empreendimentos da iniciativa privada foram incluídos no Paraná Competitivo. Entre os confirmados em 2014, destacam-se a fábrica de produtos médicos GloriaMed, em Londrina; duas plantas industriais do grupo Madero em Curitiba e Ponta Grossa; e as fábricas de cerveja e malte do grupo Petrópolis, nos Campos Gerais.

A Electrolux vai investir R$ 250 milhões na Lapa para construir uma fábrica de refrigeradores. A Latasa Reciclagem, líder no mercado brasileiro de reciclagem de alumínio, vai instalar uma unidade em Centenário do Sul, no Norte do Estado. E a multinacional Alltech, líder mundial em nutrição animal natural, anunciou a ampliação da fábrica de leveduras em São Pedro do Ivaí para iniciar a produção de algas com o foco no mercado de nutrição animal.

Já as montadoras Renault e Volvo anunciaram novos investimentos nas suas unidades. A francesa vai produzir dois novos veículos em São José dos Pinhais e instalar um Centro de Distribuição em Quatro Barras. Já a Volvo anunciou a ampliação da planta industrial de Curitiba para fabricar novos modelos da linha de caminhões.




Comentários