Autopeças: déficit passa dos US$ 8 bi

Contudo, saldo negativo cai 4% no confronto janeiro-outubro de 2013.

O Brasil registou déficit de US$ 8,12 bilhões na balança comercial de autopeças no período de janeiro a outubro, com redução de 4% no saldo negativo em relação a igual período de 2013. Os dados são do Sindipeças, entidade que reúne fabricantes do setor, e foram divulgados a partir de informações do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).

As exportações, destinadas a 177 países, recuaram 16,8%, para US$ 7 bilhões. As importações, de 161 mercados, sofreram redução de 10,3%, totalizando US$ 15,16 bilhões. A Argentina continua a ocupar o primeiro lugar na lista dos principais destinos de nossos produtos, mas houve recuo de 27,5% nos embarques ao País vizinho. Para México e Alemanha, respectivamente terceiro e quarto maiores destinos das exportações brasileiras, as quedas em relação ao período janeiro-outubro de 2013 são de 16,1% e 22,7%.

Os Estados Unidos voltaram a ser o primeiro no ranking de origem das importações brasileiras, levando a Alemanha para o segundo lugar. Mas as compras de ambos os países recuaram mais de 6% de janeiro a outubro na comparação com igual período do ano passado.

Também diminuíram as importações de China (-3,2%), Japão (-17,1%) e Coreia do Sul (-2,4%), terceiro, quarto e quinto provedores de autopeças para o Brasil. As compras da Argentina, nosso sexto fornecedor, encolheram 19,3%.

O estudo por macrorregião indica que as importações de Europa (36,3%) e de Ásia e Oceania (37,2%) tiveram pesos semelhantes no acumulado de janeiro a outubro.




Comentários