Primeira fibra de carbono reforçada Ultradur (PBT)

A Basf está agora adicionando ao seu portfólio PBT (tereftalato de polibutileno), a primeira fibra de carbono reforçada Ultradur®. A especialidade Ultradur® B4300 C3 LS apresenta baixa carga eletrostática, juntamente com boa condutividade. Isso o torna particularmente adequado para componentes em áreas sensíveis de medição e controle de tecnologia para máquinas e eletrônica automotiva. Devido ao PBT antiestático, menos poeira ou sujeira aderem ao componente: isso permite que ele funcione de forma confiável em longo prazo - mesmo em condições desfavoráveis de uso - e sem danos devido à descarga eletrostática. Nas zonas com perigo de explosão, o uso do grau condutor Ultradur® também reduz o risco de carregamento eletrostático e faíscas.
 
Dessa forma, a Basf atende às exigências crescentes relacionadas a materiais e peças, especialmente em eletrônica automotiva. Com o Ultradur® B4300 C3, a miniaturização, a precisão e a segurança podem ser combinadas de uma maneira ainda melhor no futuro: as peças feitas de plástico de engenharia com fibras de carbono reforçadas mantêm as suas propriedades antiestáticas por um tempo maior, mesmo após o contato com o meio (por exemplo, combustíveis) e em altas temperaturas.
 
Com efeito imediato, o Ultradur® B4300 C3 LS bk 15126 está disponível em quantidades comerciais. O material, que é reforçado com 15 por cento de fibra de carbono, possui um baixo volume e resistência de superfície. Ele dificilmente absorve água, é marcado por laser, e as suas boas propriedades mecânicas, são semelhantes aos de um PBT padrão com 30 por cento de fibras de vidro. Além disso, o Ultradur® B4300 C3 pode ser facilmente combinado com outras classes PBT, por exemplo, por solda ou ligação, e também é adequado para componentes complexos com paredes finas.
 
As possíveis aplicações do PBT com fibras de carbono reforçadas são em peças de carros ou máquinas em que há a passagem de gases ou líquidos, em componentes de movimento rápido de máquinas têxteis ou em elementos de correias de transporte que estão sujeitos à carga estática devido ao atrito. Outros campos de uso incluem máquinas de processamento de papel, impressoras e embalagens de transporte de bens eletrônicos delicados que requerem proteção ESD ( = descarga eletrostática).

Tópicos:



Comentários