Romi registra aumento de 11,4% na receita operacional líquida

O lucro líquido das operações continuadas foi de R$ 26,4 milhões em 2013, contra prejuízo de R$ 22,3 milhões em 2012.

A Indústrias Romi S.A., fabricante de máquinas-ferramenta, máquinas para plásticos e fundidos e usinados, registrou em 2013 receita operacional líquida de R$ 667,4 milhões, aumento de 11,4% sobre o ano anterior.
 
Desde o segundo trimestre de 2013, a Romi passou a reportar os resultados obtidos pela Romi Itália, subsidiária italiana da companhia, cuja liquidação voluntária teve início em 23 de abril de 2013, como Operações Descontinuadas, segregadas das demais operações da Companhia (operações continuadas).
 
No quarto trimestre de 2013, a Romi alcançou avanço na margem bruta das Operações Continuadas, com 32,6% (28,3% no 3T13 e 24,2% no 4T12), mantendo, assim, a recuperação observada ao longo dos últimos períodos. No acumulado do ano, esse índice atingiu 29%.
 
Em Máquinas-Ferramenta, a receita operacional líquida atingiu R$ 145,5 milhões nos três últimos meses de 2013, dos quais R$ 32,3 milhões referem-se à consolidação da receita operacional líquida da B+W. Este montante consolidado representou um acréscimo de 10,2%, se comparado com o mesmo período do ano anterior.  As vendas físicas desta unidade de negócio, no ano, totalizaram 1.513 máquinas novas, valor 1,5% superior ao obtido em 2012 (1.491 unidades). 
 
No último trimestre, o faturamento líquido da unidade de Máquinas para Plásticos totalizou R$ 22,7 milhões, aumento de 28,2%, em relação ao terceiro trimestre de 2013. As vendas físicas desta unidade totalizaram 220 máquinas, quantidade muito similar à obtida em 2012 (221 máquinas). O preço médio por unidade nesta comparação cresceu 12,4%, refletindo a recuperação de preços conduzida em 2013. Destaque para as vendas no mercado de embalagens, automobilístico, móveis, utilidades domésticas e prestação de serviços.
 
A unidade de negócio Fundidos e Usinados teve receita operacional líquida de R$ 25,6 milhões no quarto trimestre de 2013, um aumento de 11,5% em relação ao mesmo período em 2012, reflexo da retomada da demanda os setores automotivo comercial (caminhões), energia eólica e máquinas agrícolas, observada ao longo de todo o ano de 2013 em relação a 2012. Foram vendidas no ano 17.500 toneladas de produtos fundidos e usinados, volume 29,4% superior ao obtido em 2012 (13.529 toneladas).
 
"O ano de 2013 é resultado da busca contínua pela eficiência operacional, e a consolidação da atuação internacional da Romi, especialmente após a aquisição da alemã B+W”, afirma Livaldo Aguiar dos Santos, diretor presidente da Romi.
 
Os investimentos, no 4T13, totalizaram R$ 8,9 milhões, sendo destinados, em sua maior parte, para o equipamento desenvolvido pela B+W para a planta da Romi no Brasil, ação que objetiva a modernização do parque industrial de usinagem, dentro do plano de investimento da Companhia previsto para o ano de 2013. A dívida líquida da Romi, no quarto trimestre de 2013, diminuiu R$ 8,7 milhões, e de janeiro a dezembro de 2013, diminuiu R$ 44,7 milhões.



Comentários