Embraer fecha ano com onze contratos

A Embraer encerrará 2013 como um dos melhores anos da sua história em termos de vendas de aeronaves.

A Embraer encerrará 2013 como um dos melhores anos da sua história em termos de vendas de aeronaves, disse o presidente da Aviação Comercial, Paulo Cesar Silva. O contrato com a American Airlines, anunciado ontem (12), segundo ele, aumenta para onze o total de pedidos recebidos até o momento, representando 345 encomendas firmes e 427 opções de compra. Os números incluem os modelos da atual geração e da nova, que entra em serviço em 2018
 
De acordo com o executivo, o pedido da American Airlines, cujo valor pode chegar a casa dos US$ 6,25 bilhões, se forem computadas as vendas firmes (60) e as opções de compra (90), é o maior registrado pela Embraer em 2013 para o modelo E175. Em segundo lugar está a encomenda de 40 jatos feita pela também americana Sky West.
 
As encomendas firmes da American Airlines, avaliadas em US$ 2,5 bilhões, segundo o preço de lista das aeronaves, serão incluídas na carteira de pedidos. Até o final do terceiro trimestre deste ano, o "backlog" da fabricante brasileira totalizava US$ 17,8 bilhões. A primeira entrega para a American Airlines está prevista para acontecer em fevereiro de 2015.
 
O contrato com a American Airlines, segundo Silva, aumentará a participação da Embraer na categoria de 70 a 130 assentos. "Hoje já temos a liderança mundial do segmento, com mais de 50% das vendas realizadas e mais de 61% das entregas de jatos", afirmou.
 
O executivo disse que ainda existe espaço para a venda de mais de 300 jatos no segmento de 76 assentos no mercado americano nos próximos cinco anos. "Essas vendas serão materializadas, principalmente, pelo exercício das opções dos contratos assinados durante este ano", afirmou.
 
A Embraer vendeu um total de 177 jatos E175 em 2013 da atual geração e tem mais 100 pedidos firmes da segunda geração do mesmo avião. O executivo disse que, embora o grande mercado para a aviação comercial continue sendo os Estados Unidos, novas demandas vem sendo identificadas em outras regiões do mundo. Em entrevista anterior, Silva já havia mencionado um maior interesse de operadores do Leste Europeu, África e da Europa Ocidental.
 
A principal concorrente da Embraer na disputa do contrato com a American Airlines, segundo o executivo, foi a canadense Bombardier, que conseguiu realizar a venda de 30 unidades firmes e 40 opções de compra do CRJ900 NextGen. A entrega dos aviões da Bombardier foi programada para o segundo trimestre de 2014. O CRJ900 e o E175 voarão com marca American Eagle.
 
"Saímos na frente da Bombardier em termos de volume de vendas para a American Airlines por conta do reconhecimento da competitividade dos nossos aviões, que apresentam o melhor custo operacional e conforto ao passageiro da categoria", disse. A eficiência da operação, segundo Silva, pode ser comprovada pelo índice de disponibilidade da aeronave nas frotas dos operadores, superior a 99%.
 
A combinação desses fatores com a experiência positiva da American Airlines com a frota do jato ERJ145, na questão do atendimento ao cliente, foram para Silva decisivos para o resultado anunciado ontem. A American Airlines é considerada uma das maiores clientes do modelo ERJ 145, de 50 passageiros. A companhia adquiriu 216 unidades em 1998.
 
"Temos a melhor organização em pós-venda e suporte ao cliente, com mais de mil pessoas no mundo fazendo esse atendimento para as operadoras dos jatos Embraer", disse Silva.
 
A negociação com a American Airlines levou cerca de um ano e meio para ser concluída. As negociações com a Embraer chegaram a ser interrompidas durante a fase de fusão da American com a US Airways.
 
A Embraer começou este ano a implementar uma série de melhorias no E175, incluindo novas pontas das asas e otimização de sistemas aerodinâmicos, com o objetivo de reduzir em até 5% o consumo de combustível. A empresa espera aumentar a produtividade da aeronave com menores custos de manutenção, por meio de intervalos de manutenção mais longos e melhorias de componentes.
 
Silva disse que o primeiro E175 modernizado tem previsão de ser entregue entre abril e maio. A Republic Airlines, que adquiriu 47 unidades do modelo, deverá ser a primeira aérea no mundo a receber o E175 com as melhorias que estão sendo incorporadas.
 
Por Leonardo Rodrigues/ Valor Econômico
Tópicos:



Comentários