Expositores chineses consideram mercado brasileiro promissor

Mas a língua se torna uma grande barreira no Brasil, já que muitos visitantes não falam inglês.

No Pavilhão 2 do Centro de Eventos da Uva, em Caxias do Sul, onde ocorre a Mercopar 2013, foi criado um espaço dedicado aos expositores chineses. Com a maioria sem tradutores, a língua inglesa era o meio de comunicação entre esses expositores e o público, o que dificultou a divulgação dos produtos oriundos da China. Ainda assim, os expositores estão confiantes com o mercado brasileiro.

A vendedora da fabricante de rolamentos Sumec Hardware and Tools, He Wenjing, participa pela segunda vez da Mercopar. Para ela é importante expor seus produtos no Brasil devido à expansão do mercado local. “O mercado brasileiro é grande para este tipo de produtos”, conta. A empresa contou com uma tradutora própria.

Já o gerente da empresa Jiaxing Promissing, Zhu Ji, teve que se virar sozinho para se comunicar com os visitantes. Ainda assim, ele busca conquistar seus primeiros compradores brasileiros a partir do evento. Com clientes consolidados na Europa e nos Estados Unidos, Zhu Ji, ressalta a importância da indústria automotiva brasileira, assim como o rápido desenvolvimento da economia no País, inclusive como parte do Brics. Para ele, participar de uma feira como a Mercopar ajuda a prospectar novos negócios. “Também é bom para conhecer e aprender como os brasileiros lidam com os negócios”, complementa.

Os veteranos da Hangzhou Donghua Chain Group também consideram o Brasil um mercado promissor, porém, os gerentes da empresa, Denis Huang e Xiao Ji, sentem o mercado da região Sul fechado para negociar com empresas estrangeiras. “Nós procuramos exibir nossos produtos para aumentar nossos negócios na América do Sul”, explica Ji. Eles relatam que a maior dificuldade enfrentada na divulgação de seus produtos é a língua. “Quase ninguém aqui fala inglês”, lamenta Ji.

O evento contou com 603 expositores brasileiros e também da Alemanha, Argentina, Canadá, China, Holanda, Itália, Romênia e Turquia.

 




Comentários