Com Inovar-Auto, volta a crescer participação dos importados no mercado nacional

Já as exportações seguem em direção oposta e registram queda

 

O início do Inovar-Auto, que garante cotas de importação sem o adicional de 30 pontos no IPI, estimulou um crescimento da participação dos veículos importados no mercado nacional. Esses modelos responderam por 21,2% das vendas no País em fevereiro. O dado foi divulgado na quarta-feira (6), pela Anfavea, associação dos fabricantes de veículos. 
 
O market share é levemente inferior ao registrado em janeiro, quando os carros estrangeiros representaram 21,8% das vendas, mas é maior do que a média do ano passado, de 20,9%. Apesar da evolução, esse porcentual ainda está abaixo do registrado nos primeiros dois meses daquele ano. Em volume, houve queda de 8,7%, para 117,8 mil unidades. 
 
Além da importação de automóveis do México e de Países do Mercosul, há um novo fluxo de carros trazidos do exterior dentro das cotas de importação do Inovar-Auto. As empresas habilitadas no novo regime automotivo podem importar até 4,8 mil unidades por ano sem o adicional de 30 pontos no IPI.
 
Esse número é maior para as investidoras ou produtoras, que podem trazer volume equivalente a até 25% do seu futuro potencial produtivo, com a possibilidade de importar outros 25% pagando o IPI majorado, que é devolvido como crédito tributário depois que a fábrica ou nova linha de montagem entra em operação. 
 
Exportações
As exportações seguem caminho oposto e chegaram a 67,9 mil unidades no primeiro bimestre do ano, com queda de 2,2% na comparação com o mesmo período de 2012. Com 31,7 mil unidades exportadas, a queda se aprofundou em fevereiro e chegou a 12,4% na comparação com janeiro e a 12,9% ante igual mês do ano anterior. 
 
Em valor, fevereiro apresentou queda de 3,8% na comparação anual, mas expansão de 12% na mensal, para US$ 1,12 bilhão. No bimestre as vendas de modelos nacionais no esterior somaram US$ 2,12 bilhões, com queda de 4,9%. 
 
A Anfavea espera que as exportações de veículos se mantenham estáveis em valor este ano. Em volume, as projeções da entidade apontam para uma queda de 4,6% na comparação com 2012, para um total de 420 mil unidades até dezembro.
 
Por Giovanna Riato/ Automotive Business



Comentários