Processo: remove a graxa pela ação de hidrocarbonetos clorados . Estes solventes promovem a limpeza dissolvendo rapidamente as gorduras minerais, vegetais e animais, resinas, ceras, parafina, asfalto alcatrão e alguns tipos de pintura. Não atacam o metal e não deixam residuos quando aplicados diretamente. Neste processo não são necessárias a lavagem e secagem posterior das peças.

Agentes químicos: o tricloro-etileno e o percloro-etileno são os principais compostos para este tipo de limpeza. A característica incombustível destes solventes fez com que os hidrocarbonetos combustíveis antigamente usados (gasolina, querosene e benzóis) fossem quase completamente descartados.

Características: os aparelhos começam com uma remoção prévia, seguida de uma remoção definitiva da gordura. As peças saem do tricloro-etileno (870 C) ou do percloroetileno (1190 C) em ebulição, passam através da zona de vapor. Os vapores do solvente condensam-se nas superfícies metálicas lavando-as definitivamente com o solvente limpo.

Cuidados especiais: pós abrasivos e sujeira sólida não são removidos pela efervecência fraca da solução. Neste caso as peças devem ser escovadas, a menos que seja possível dirigir um jato de solvente sobre a peça, numa câmara fechada.
Peças levemente untadas ou de formas complexas são tratadas com vapores de tri ou percloro-etileno, não passando pela operação de imersão.

Segurança de operadores: o tri e o percloro-etileno não devem ser aplicados alternadamente para a remoção de graxas de peças de ferro e de alumínio num mesmo recipiente.
O tricloro-etileno quente reage com o pó de alumínio de modo explosivo, formando o cloreto de alumínio.
Para o alumínio e suas ligas deve-se usar somente o percloro-etileno.