por Gabriela Pederneira*    |   06/12/2021

Gerenciamento de Ferramentas traz soluções tecnológicas para diversos setores dentro das indústrias

Exclusiva

Softwares conseguem agilizar, automatizar e otimizar o uso de ferramentas no chão de fábrica.


Publicidade


O Gerenciamento de Ferramentas é um setor estratégico dentro de qualquer indústria, porém ainda muito negligenciado. As fábricas tendem a ter um trabalho manual e pouco efetivo no controle, gestão e uso de suas ferramentas de corte, o que impacta diretamente na competitividade e lucro do negócio. 

Pablo Castro, engenheiro, traz em um artigo exemplos reais de problemas enfrentados nas indústrias por falta de um gerenciamento de ferramentas eficiente:

  • Tempo de procura por uma ferramenta chegava a 45 minutos, fazendo com que 25% do tempo no chão de fábrica fosse gasto procurando por estes recursos;
  • 28% do ferramental estava obsoleto e redundante.

Esse é um cenário que se replica na maioria das indústrias. De acordo com um texto adaptado do livro Tool Management Strategies, pela Adeptmec,  por exemplo, cerca de “30% das solicitações dos operadores e supervisores de produção não são atendidas adequadamente pelo Almoxarifado de Ferramentas”. 

Isso tudo contribui para a ineficiência operacional, aumento de custos, aumento do tempo de produção e falta de competitividade no mercado.  

Gerenciamento de Ferramentas como solução

A solução para esse cenário é a implementação de processos e tecnologias de Gerenciamento de Ferramentas - o que, de quebra, ajuda na diminuição e até eliminação completa do uso de papel. 

No Brasil, ainda são poucos os softwares que oferecem o controle completo do ciclo de vida útil das ferramentas, mas algumas empresas que vendem o ferramental sabem da importância desse serviço e o oferecem como parte complementar do negócio.

Esses softwares automatizam o controle das ferramentas, rastreiam seu uso, organizam as informações tecnológicas digitalmente, impedem a redundância e alertam quando elas começam a se tornar obsoletas. Esses benefícios  são importantes para diversos setores, como:

  • Planejamento de processos/Engenharia industrial: esses são um dos principais usuários dos sistemas. Eles podem se beneficiar da automatização da elaboração de folhas de preparação, que ajudam  na seleção das ferramentas para cada peça de usinagem.
  • Programação NC: o programador pode acessar o banco de dados de ferramentas disponível na empresa e importar diretamente ao CAM os parâmetros de corte, os dados gráficos (3D) e dimensionais e, simultaneamente conhecer a disponibilidade física destes itens na empresa (onde estão, em qual condição (novo, usado, recondicionado) sem precisar sair de seu posto de trabalho.
  • Compras: com o controle do ciclo de vida das ferramentas, o setor pode agilizar a percepção de quais equipamentos precisam ser repostos ou substituídos, além de se planejar de forma mais assertiva sobre as compras futuras. 
  • Almoxarifado/Preset de Ferramentas:  o setor consegue ter uma precisão de onde está cada ferramenta a todo momento, facilitando a organização e a entrega. Além disso, toda a documentação ferramental é facilitada por meio da solução. 
  • Projetos: a equipe de projetos consegue, de antemão, entender quais as ferramentas que terá à disposição, criando processos factíveis e com o orçamento mais ajustado à realidade. 
  • Diretoria: ter certeza de que sua empresa está utilizando a melhor relação custo-benefício em termos de ferramentas de corte que contribuam da melhor forma possível na competitividade no mercado.  

Além de beneficiar vários setores, o gerenciamento de ferramentas traz como solução para os negócios a integração entre as áreas, geração de dados sobre a produção, responsabilidade de todos sob os recursos da usinagem, melhora do produto final e agilidade. 


Continua depois da publicidade


*Artigo desenvolvido com exclusividade para a Adeptmec.

Obtenha dicas práticas de como identificar custos escondidos

O conteúdo e a opinião expressa neste artigo não representam a opinião do Grupo CIMM e são de responsabilidade do autor.

Gabriela Pederneira*

Redatora, Jornalista e Assessora de Imprensa


Comentários