Medium_20190321_114715
Cristian Machado De Almeida    |   15/06/2020   |   Tecnologia e Indústria 4.0   |  

Tecnologia no esporte mais popular do mundo: o Futebol!

Goste você ou não, o futebol ainda é (e vai continuar sendo por muito tempo) o esporte mais popular do mundo. Por isso, muita atenção é dada ao seu desenvolvimento, principalmente no aspecto tecnológico.

Diferente do passado, hoje o futebol é um esporte complexo e que depende, de certa forma, dos avanços da tecnologia para acontecer como acontece hoje. Se há décadas tínhamos bolas pesadas, chuteiras com materiais que machucavam o pé dos atletas e árbitros cometendo erros grotescos (até hoje ainda acontece), que chegam a mudar o rumo de partidas, pelo menos hoje este cenário começa a mudar. Graças à tecnologia, muitos aspectos do esporte evoluíram e hoje temos mecanismos que realmente modificam o futebol a uma patamar que a uma década atrás não era imaginado, não para os mais incrédulos.

O mundo vem sofrendo grandes transformações e a tecnologia está presente em quase todos os aspectos da nossa vida. Então por que achar que seria diferente com o futebol? Para quem acompanha esportes já há anos alguns esportes como tênis ou futebol americano estão utilizando soluções tecnológicas.

Por ser um esporte tradicional, o uso da tecnologia no futebol ainda possui alguns entraves. Muitos profissionais resistem às inovações, no entanto, a evolução dos equipamentos forçou o esporte mais tradicional no mundo a se adaptar, mesmo que de forma tardia em relação aos outros. Um dos principais motivos, como mencionado, foram os erros de arbitragem que crescia a cada dia e, principalmente, em eventos de grande porte como na Copa do Mundo. Isso fez com que a maior Federação do futebol do mundo, a Fifa, iniciasse essa mudança.

A tecnologia no futebol: muito além da arbitragem

Vamos por um instante esquecer os erros do árbitro, pois o uso da tecnologia no futebol vai além disso: diversos recursos tecnológicos atuam em vários outros segmentos da partida, dentre eles, um dos principais é o desempenho dos atletas e a aprendizagem de como o adversário joga. Assim como aconteceu com a natação, após a criação dos trajes de banho tecnológicos, o que levou a numerosas quebras de recordes, o uso da tecnologia no futebol revolucionou todos os aspectos do jogo.


Continua depois da publicidade


A coleta dos dados perfomáticos contribuem e muito para melhoria dos treinos, preparação e análise da performance dos jogadores e no time como um todo. O Clube alemão Borussia Dortumond utiliza o equipamento Footbounaut usado para testar e melhorar reação, visão, precisão e habilidades de seus jogadores. Este equipamento fica em uma jaula robótica, de 14 metros, onde as bolas de futebol são lançadas a diferentes velocidades e ângulos para desenvolver as habilidades de seus jogadores, estes precisam dominar a bola e, rapidamente, tocar ou chutar para um quadrado que acende. Este sistema custa em torno de US$ 2 milhões a US$ 3 milhões e vem sendo utilizado pela seleção do Catar para a preparação da Copa de 2022. Aqui neste ponto surge um bom papo para discussão: pois o que já existe em termos do uso de tecnologia para coleta de dados performáticos, normalmente, custa muito caro, o que a torna inacessível para a maioria dos amantes do futebol.

Seja para reduzir os erros da arbitragem ou ainda para treinar e analisar as performances dos jogadores – a verdade é que a tecnologia está mudando o mundo do futebol. Estas mudanças já estão sendo observadas e estamos na torcida para que rapidamente o futebol torne-se um esporte cada dia mais justo, desenvolvido e com informações acessíveis a todos os envolvidos.

Tecnologias já utilizadas no futebol

Para quem acompanha eventos de futebol é provável que já tenha visto algumas destas tecnologias (que irei citar) em ação, em algum momento do transcorrer da partida. Mas é bem interessante entender como elas surgiram e estão impactando o esporte mais popular do mundo.

Tira-Teima

O Tira-teima é uma tecnologia no futebol relativamente antiga, mas que passou por muitas evoluções durante os últimos anos. Ela é o recurso utilizado pelos comentaristas esportivos para explicar um determinado lance com um olhar mais cirúrgico. Por meio de uma virtualização ou digitalização é possível analisar o lance com mais cuidado, se houve impedimento, se a bola entrou ou não no gol ou até a velocidade da bola em um chute ao gol. Apesar de ser um ferramenta bastante utilizada, esta não tem nenhuma influência com o transcorrer do jogo em si, ela é utilizada apenas para ilustrar e ajudar os espectadores, bem como os comentaristas a entender melhor o jogo naquele ponto em específico.

Tecnologia na linha do gol

Esta tecnlogia ajuda no momento crítico do jogo, para ajudar o árbitro a validar o gol ou não. Essa é uma situação que sempre aconteceu em várias partidas de futebol e chegou para ajudar o árbitro. Este sistema foi implementado pela primeira vez oficialmente em 2012 no Mundial de Clubes no Japão, onde teve como campeão o clube brasileiro Corinthians.

O funcionamento dessa tecnologia é bem simples e se apoia em um uso de complexos sistemas de câmeras, para definir se a bola cruzou por completa a linha do gol. Para isso, um chip dentro da bola avisa remotamente o àrbitro, que recebe a notificação através de um relógio. Graças a essa tecnologia muitas situações polêmicas foram evitadas, ajudando no transcorrer da partida.

Materiais esportivos

A tecnologia também está presente nos equipamentos que os atletas utilizam, desde chuteiras que evoluíram e muito desde as utilizadas há décadas com pregos para a sustentação do atletas. Hoje, praticamente, as chuteiras se adaptam ao formato do pé de cada jogador, as plamilhas são elaboradas para absorverem melhor o impacto e as travas são feitas para dar maior controle na corrida.

As camisas de jogo também evoluíram muito durante os anos. Se antes as camisas eram feitas de pano simples usada apenas para estampar o escudo do clube, nome do jogador e número, hoje estas possuem tecnologias que ajudam na transpiração, são extremamente leves e ainda auxiliam na manutenção da temperatura do jogador - principalmente em partidas em locais com baixas temperaturas.

E o que falar da rainha da partida, a bola. Esta passou e ainda passa ao longo dos anos, com a mudança de campeonatos, por grandes evoluções (coitado dos goleiros). Além de possuírem o chip para tecnologia do gol, o material na qual é desenvolvida é feito para absorver menos água e ser mais resistente, permanecendo intacta mesmo diante dos chutes e impactos costantes, chegando assim ao final da partida sem sofrer deformações significativas. Lembrando que antes a bola era feita de couro de animal e acabavam sendo estragadas com facilidade.

Análise de desempenho

Creio que aqui está uma das maiores evoluções significativas dentro do futebol. Isso porque além da melhoria dos equipamentos diretamente ligados ao atleta durante a partida, a tecnologia também ajudou a melhorar tudo o que envolve o treino e o jogador. Testes específicos, treinos individualizados, aparelhos de última geração, GPS e etc. são utilizados para a melhora dos atletas. Isso traz resultados significativos durante partidas que só é possivel graças a tecnologia.

O que falar da tecnologia aplicada no pós jogo, onde diversos equipamentos e testes médicos ajudam a melhorar a recuperação dos atletas, mesmo para aqueles que sofreram alguma lesão. Claro que o avanço da medicina tem peso, pois este avanço ajuda a propor tratamentos avançadíssimos para as lesões dos atletas.

Transmissão dos jogos

Os amantes do futebol também são beneficiados com o avanço da tecnologia, isso que nem levamos a comparação às transmissões em preto e branco que aconteciam no século passado. Se for levado em consideração com os jogos transmitidos no começo dos anos 90, por exemplo, já se pode ver a grande diferença, principalmente, pela qualidade da imagem. Com uma boa televisão e uma recepção digital hoje é possivel dizer que se sente a partida de futebol, câmeras estrategicamente bem posicionadas dão uma visão antes nunca imaginadas para o futebol. Ainda existem condições sento testadas a nível 3D e a tão famosa realidade aumentada, que em breve deverão fazer parte do pacote futebol dentro de casa.

Árbitro de vídeo

O VAR foi uma das tecnologias da Copa do Mundo de 2018 e utilizada, sobretudo, para definir se um gol aconteceu ou não. Ainda para tirar dúvidas em caso de pênalti, cartões vermelho direto ou identificar jogadores que tenham participado de algum lance confuso. Quando necessário, o árbitro principal aciona uma equipe localizada em uma sala dentro do estádio. Nesta sala, alguns outros árbitros ficam analisando o lance através de monitores com vários ângulos diferentes do jogo. 

O uso (assim como a falta de uso) do VAR gerou muitas polêmicas, mas a FIFA defendeu como um grande sucesso durante a primeira fase. Segundo dados divulgados pela organização, o vídeo foi utilizado 355 vezes durante os 48 jogos da primeira fase da Copa da Rússia. Todos os 122 gols foram verificados,em uma média de 6,9 usos por jogo. Mesmo que em 95% dos casos, decisões iniciais do juiz tenham sido corretas, o uso do VAR elevou o número para 99,3%. A inteligência artificial e as tecnologias nos ajudam a alcançar quase a perfeição e minimizar as falhas humanas demasiadas humanas.

Deixo aqui uma provocação sobre o uso ou não da tecnologia no futebol, se devemos ou não utilizá-las: Essa é uma discussão polêmica e que certamente tem potencial para grandes discussões. Afinal, será que a tecnologia no futebol diminuiu a graça de assistir uma partida? Ou será que é justo ver uma partida ser determinada por conta de erros de arbitragem?

Definitivamente é difícil responder essa questão, mas é possível ter uma visão ponderada a respeito deste assunto.

Nota: Gostaria de agradecer as Escolas The 360 e Futebol Interativo que de alguma forma me ajudaram a escrever sobre o tema.

As informações e opiniões veiculadas nesse artigo são de responsabilidade exclusiva do autor e não representam a opinião do Grupo CIMM.
20190321_114715

Cristian Machado De Almeida

Formado em Engenharia de Produção e Pós graduação em Indústria 4.0. Atualmente trabalhando como Coordenador de Planejamento e Controle de Produção na Calvo Cestas Básicas, atuando na Consultoria Nova Fase Tecnologia como Industrial Business Development e Representante Comercial do Festival Internacional de Tecnologia e Comunicação.


Mais artigos de Cristian Machado De Almeida

Comentários