17/12/2019

Mercado de eventos em 2019: otimismo e crescimento que impulsionaram a economia brasileira

Termômetro da economia, o setor de feiras de negócios viveu o otimismo e o crescimento dos investimentos em 2019. Passado o período eleitoral de 2018, sempre marcado por incertezas, o primeiro semestre foi de boas expectativas em relação à economia, que contaminaram positivamente o ambiente das feiras.  Essa resposta, tanto dos expositores, quanto dos visitantes, resultou em eventos extremamente bem-sucedidos. A Agrishow, por exemplo, gerou volume de R$ 2,9 bilhões em negócios, um crescimento de 6,4% em relação ao ano anterior, enquanto a Plástico Brasil, contou com mais de 100 novos expositores e aumento de 20% na área de exposição.

O avanço do Produto Interno Bruto (PIB) no segundo trimestre em 0,4%, acima do esperado pelo mercado, reforçou ainda a importância de observar as feiras de negócios para mapear o mercado econômico. Neste resultado, a indústria de transformação, que inclui setores como o de alimentos e bebidas, por exemplo teve alta de 2%. Crescimento que também foi observado nas feiras do segmento como Fispal Tecnologia e FiSA, por exemplo. Já a indústria da construção civil, que cresceu 1,9% no período, é um mercado cada vez mais explorado pelas feiras de negócios e que deve crescer ainda mais nos próximos anos por seu caráter promissor em mercados em expansão.

No segundo semestre, apesar de mais conservador em relação às expectativas, o mercado de eventos seguiu em alta e provou seu papel fundamental para geração de negócios e fortalecimento da economia. Pesquisa divulgada pela UBRAFE (União Brasileira dos Promotores de Feiras) em parceria com a NewSense, demonstrou que o valor do impacto anual gerado em eventos de negócios no Estado de São Paulo superou os R$ 305 bilhões. Algo equivalente a 4,6% do PIB Nacional.

O estudo também revelou que somente no estado de São Paulo foram investidos por expositores e visitantes quase R$ 16,6 bilhões com foco na geração de negócios. Mais importante do que isso, conforme o levantamento, a cada R$ 1 investido pelas empresas em eventos, R$ 35 são gerados em retorno, o que comprova o papel fundamental da cadeia de eventos no fortalecimento da economia do País.

Com atualizações positivas do mercado em relação a projeção do PIB para 2020, podemos esperar um próximo ano ainda mais repleto de conquistas para o mercado de feiras de negócios. Gerando um novo ciclo de crescimento e desenvolvimento para o País.

As informações e opiniões veiculadas nesse artigo são de responsabilidade exclusiva do autor e não representam a opinião do Grupo CIMM.

Marco Basso

Presidente da Informa Markets


Comentários