19/06/2019

Indústria de Alimentos e Bebidas: receitas para o desenvolvimento econômico

A indústria de alimentos e bebidas é uma das mais estratégicas para a economia nacional. Responsável por 9,6% do PIB brasileiro e por processar 58% de toda a produção agropecuária do País, de acordo com dados da ABIA (Associação Brasileira da Indústria de Alimentos), o segmento segue em expansão e crescimento mesmo diante de cenários econômicos instáveis. Afinal, qual a fórmula para esse sucesso?

Em primeiro lugar, a indústria de alimentos e bebidas sabe como ninguém responder com agilidade novas regras e legislações, assim como as demandas dos clientes. Todos os anos uma imensidade de novos alimentos, ingredientes e soluções surgem nas prateleiras como respostas às principais tendências de mercado e ao novo comportamento do consumidor. Foi assim com a questão da saudabilidade com os alimentos diet, light e fit e, mais recentemente, com a crescente busca por opções vegetarianas, veganas, sem glúten e sem lactose, por exemplo.

Neste sentido, outros dois quesitos jogam a favor dessa indústria: a alta capacidade de inovação e o comprometimento com o investimento em tecnologias, maquinário e soluções. Novas opções de produtos não surgem do nada e é preciso coragem para arriscar e inovar. Extremamente engajado, o segmento busca não apenas responder a sua cadeia de clientes, mas entender profundamente seu público e as tendências de mercado, antecipando demandas e criando necessidades. Ao mesmo tempo em que investe em estruturas completa, atuais e capacitadas.

Com o objetivo de otimizar a produção, a indústria de alimentos e bebidas busca sempre melhorar seus processos. Prova disso, são os mais de R$ 3,5 bilhões em negócios gerados durante a Fispal Tecnologia em seus 35 anos. Maior feira para a indústria de alimentos e bebidas da América Latina, o encontro também é, anualmente, palco de discussões relevantes para o segmento, dando dicas dos próximos passos a serem seguidos como a Indústria 4.0, por exemplo, que há várias edições, ganha destaca nas atrações e passa a ser implementado no setor.

Cada vez mais qualificada, a indústria de alimentos e bebidas nos dão dicas sobre os caminhos para o desenvolvimento industrial do Brasil. Cabe a cada um dos setores ajustar essas estratégias a seus negócios.

As informações e opiniões veiculadas nesse artigo são de responsabilidade exclusiva do autor e não representam a opinião do Grupo CIMM.

Marco Basso

Perfil do autor

Presidente da Informa Markets


Comentários