Medium_coluna_6
  |   01/03/2016   |   Gestão de custos industriais   |  

Otimizando os processos através das informações de custos

Um exemplo prático de como um sistema de custos bem estruturado pode substanciar a otimização dos processos produtivos de uma empresa.

Na coluna anterior vimos que o conhecimento por parte dos gestores das informações e valores dos custos de uma empresa podem influenciar até na definição do mix de produtos mais rentável para o negócio.

Nesta coluna, iremos abordar uma outra particularidade sobre como utilizar o conhecimento sobre os custos de um produto para otimizar os seus processos produtivos. Para isso, vamos partir para um exemplo prático, para que vocês possam relacionar com situações práticas que acontecem diariamente no cotidiano de uma empresa.

Imaginemos uma indústria de ferramentas para uso comum, como chaves de fenda, alicates, martelos, chaves de boca, dentre outros. Após a implantação de um sistema que permitiu identificar os diferentes custos do negócio, assim como o de cada produto, foi identificado que o martelo era o produto que apresentava a menor margem de lucro do portfólio de vendas.

Os concorrentes ofereciam no mercado produtos que dispunham benefícios similares por 10 reais. Ao fazer o breakdown dos custos para a fabricação e distribuição do martelo, a empresa identificou seus custos diretos, ou seja, custos com matéria prima, insumos, processo produtivo. Identificou também seus custos indiretos com suporte administrativo, estrutura comercial, logística e distribuição. O gráfico a seguir apresenta este breakdown:

Como se vê, para colocar o martelo no mercado com um preço competitivo, seu lucro seria de apenas 15 centavos por unidade, o que representa uma margem de lucro de apenas 1,5%. Com estas informações, ficou claro que algo precisava ser mudado, pois uma margem de lucro tão ínfima sugeria a retirada do martelo do mix de produtos. Porém, informações do setor comercial levaram a conclusão de que isto seria uma péssima ideia, visto que, segundo os vendedores, o martelo fazia parte de um pacote de ferramentas muito procurado pelos clientes.

Visto que retirar o martelo do mix de produtos não era uma opção, algo precisava ser revisto nos processos internos da empresa, de modo a otimizar esta margem de lucro.

Como não poderia deixar de ser, o foco inicial desta revisão foi otimizar o processo produtivo do martelo, uma vez que seu custo representava quase 50% do preço de venda do martelo.

Para tanto, foram analisados os diferentes processos produtivos necessários para a produção do martelo. Desde a forja, passando pela têmpera, a pintura, e o acabamento final, os processos foram avaliados, seus custos levantados, e montou-se o gráfico a seguir, com o montante de cada etapa de produção.

Dentre os diferentes indicadores levantados para cada etapa do processo, estavam a capacidade produtiva e a produtividade. E para o processo da têmpera verificou-se que a produtividade estava em apenas 30%.

Algo precisava ser feito!

E foi feito!

Investiu-se em Planejamento e Controle da Produção, e, com isso, reduziu-se o tempo de setup da têmpera, a mão de obra ociosa foi realocada para outros setores, e após estas simples mudanças a produtividade subiu para um patamar próximo à 65%. Mais do que dobrou! Vejam o impacto no custo do processo produtivo do martelo.

E é importante ressaltar que não foi só a têmpera que melhorou. Os outros processos e produtos também sofreram impactos positivos com estas melhorias. E assim, o custo de produção do martelo caiu de quase 5 reais para 3 reais e vinte centavos. Uma redução de 33% nos custos com algumas simples modificações no processo.

Voltando ao breakdown de custos do martelo, no gráfico a seguir, percebemos o quão impactante foi esta mudança.

Como se pode ver, as mudanças no processo produtivo também otimizaram a utilização dos recursos em outros setores, como a logística de distribuição, que passou a ser melhor planejada, uma vez que a produção estava planejada. E o mais importante é que a margem de lucro, que antes era de 1,5% subiu para 17%, o que tornou a permanência do martelo no mix de produtos um ótimo negócio para a empresa, que conseguiu ainda trabalhar descontos maiores para ampliar sua base de clientes.

Por hoje, ficamos por aqui. Antes de me despedir, porém, gostaria de convidar a todos para participarem do webinar gratuito que iremos realizar no próximo dia 14 de março, onde abordaremos as estratégias para fazer orçamentos vencedores. Inscrevam-se através do link: https://www.sympla.com.br/como-fazer-orcamentos-vencedores__57613 para poderem participar do evento.

Até a próxima!

As informações e opiniões veiculadas nesse artigo são de responsabilidade exclusiva do autor e não representam a opinião do Grupo CIMM.
Coluna_6

Caio Uribbe Castro

Engenheiro Mecânico formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Atuou com Gestão de Processos no setor aeronáutico e, atualmente, trabalha focado em Processos de Melhoria de Gestão na empresa Valor & Foco.


Mais artigos de Caio Uribbe Castro

Comentários