Todo o site

Dicionário

Página inicialDicionário Metal Mecânico




Busca por verbetes que iniciam com a letra: "a"

27 registros encontrados
ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas)

Sistema brasileiro para a classificação dos aços. O sistema ABNT baseou-se nos sistemas americanos. Nele, basicamente, vários tipos de aços de até 1% de carbono, com elementos comuns ou baixos teores de elementos de liga, são indicados por quatro algarismos (os dois últimos algarismos correspondem ao teor de carbono e os dois primeiros à presença ou não de elementos de liga). Assim, toda vez que os dois primeiros números forem 1 e 0, respectivamente, trata-se de um aço carbono

 
ABRAMAN

Sigla da Associação Brasileira de Manutenção.

 
Absorção da luz

Fenômeno que ocorre quando a luz chega a uma superfície e é absorvida pela mesma.

 
Acelerômetro

Transdutor que gera um sinal elétrico quando os seus elementos piezoelétricos são carregados ao entrarem em contato com um corpo vibrante. Possibilita a detecção de sinais vibratórios que podem ir de 1 Hz até 20 kHz. São fáceis de instalar e bastante resistentes.
A posição e o modo como a informação vibratória é recolhida é fundamental no desenvolvimento de um programa de inspeção periódica (monitorização). Normalmente é feita a detecção de dados vibratórios tanto na posição vertical como na horizontal. O ponto de leitura deverá ser identificado corretamete, de forma que nas sucessivas inspeções seja assegurada a detecção dos dados vibratórios no mesmo ponto.

 
Aço de alto carbono

Aço que contém mais de 0,6% de carbono. Sua soldagem é mais difícil do que a efetuada em aços de baixo e médio carbono, devido à maior probabilidade de ocorrer trincas a frio.
Os aços alto carbono possuem maior resistência e dureza, e menor dutilidade em relação aos aços baixo e médio carbono. São quase sempre utilizados na condição temperada e revenida, possuindo boas características de manutenção de um bom fio de corte. Possuem grande aplicação em talhadeiras, folhas de serrote, martelos e facas.

 
Aço de baixo carbono

Aços cuja quantidade máxima de carbono é de aproximadamente 0,3%. Possuem, normalmente, baixa resistência mecânica e dureza e alta dutilidade e tenacidade. São facilmente usináveis e soldáveis de um modo geral e apresentam baixo custo de produção. Normalmente não são tratáveis termicamente para endurecimento. Entre as suas aplicações típicas estão as chapas automobilísticas, perfis estruturais e placas utilizadas na fabricação de tubos, construção civil e latas de folhas-de-flandres.

 
Aço de médio carbono

Aço que possui uma quantidade de carbono suficiente para a realização de tratamento térmico de têmpera e revenido, embora tais tratamentos precisem ser realizados com taxas de resfriamento elevadas e em seções finas para serem efetivos. Contêm de 0,3 a 0,6% de carbono, aproximadamente.
Os aços de médio carbono possuem maior resistência e dureza e menor tenacidade e dutilidade do que os aços de baixo carbono.
São utilizados em rodas e equipamentos ferroviários, engrenagens, virabrequins e outras peças de máquinas que necessitem de razoável resistência mecânica e ao desgaste, além de tenacidade.

 
Aço-ferramenta

Aço ao carbono com teores de 0,8 a 1,5% de carbono. Se apresentar outros elementos de liga, estes são aplicados em porcentagens pequenas. A principal desvantagem desse tipo de aço é o fato de perder sua dureza (capacidade de corte) em temperaturas relativamente baixas (em torno de 250ºC), requerendo velocidades de corte inferiores a 25m/min. São impróprios para usinagem de aços de alta resistência. Apresenta como vantagens: baixo preço, facilidade de usinagem, tratamento térmico relativamente simples, boa tenacidade e boa dureza e resistência ao desgaste quando bem temperado. O aço ferramenta ainda é empregado em pequenas oficinas, em ferramentas para a produção de poucas peças e para a usinagem de ligas de latão e de alumínio.


Veja mais sobre Aços Ferramentas na seção Material Didático do CIMM.


 

 
Aço-liga

Chamado também de aço especial, é uma liga de ferro-carbono com elementos de adição (níquel, cromo, manganês, tungstênio, molibdênio, vanádio, silício, cobalto e alumínio) para conferir a esse aço características especiais, tais como: resistência à tração e à corrosão, elasticidade e dureza, entre outras, tornando-os melhores do que os aços-carbono comuns.
A adição de elementos de liga tem o objetivo de promover mudanças microestruturais que, por sua vez, promovem mudanças nas propriedades físicas e mecânicas, permitindo que ao material desempenhar funções específicas.
Os aços-liga costumam ser designados de acordo com os elementos predominantes, como, por exemplo, aço-níquel, aço-cromo e aço-cromo-vanádio. Seguem a mesma classificação dos aços-carbono, dividindo-se também em graus, tipos e classes. Os sistemas de classificação também são os mesmos, destacando-se os sistemas SAE, AISI, ASTM e UNS.
Os aços-liga podem ser encontrados em praticamente todos os segmentos industriais, desde a construção civil até a construção naval, passando pelas indústrias petrolífera, automobilística e aeronáutica.
Aços de alta liga são aqueles cuja soma dos elementos ultrapassa 5%. Três grupos podem representar os aços ligados: aços temperados e revenidos, aços tratáveis termicamente e aços resistentes à corrosão e ao calor.

 
Aço microligado

Aço que contêm, em geral, menos de 0,15% de carbono e pequenas quantidades de Nb, V, Ti, Mo e N. Possuem boa soldabilidade. A soldagem desses aços é similar à dos aços de baixo carbono, embora seja esperada uma maior temperabilidade.

 
Aço rápido

Material que pode ser feito com muitos tipos de aço, empregando-se ligas de tungstênio, cromo, molibdênio, vanádio e cobalto. Essas combinações de elementos de liga asseguram a resistência e a dureza necessárias para operações em altas temperaturas. Os aços-rápidos resistem a temperaturas de até 550ºC. Mesmo com o desenvolvimento de novas tecnologias de fabricação de materiais para ferramentas, o aço rápido ainda é utilizado para confecção de ferramentas para furação, brochamento e fresamento, uma vez que seu custo é relativamente baixo. Assim como o metal duro, o aço rápido também pode receber camadas de recobrimento, sendo os mais usados: TiN, TiCN e TiAlN.

 
Aços

São os materiais metálicos quantitativamente mais empregados na indústria. São ligas ferro-carbono, podendo ter elementos de liga adicionados propositadamente ou residuais (decorrentes do processo), dependendo das propriedades necessárias. Depois do ferro, o carbono é o elemento mais importante, que é o determinativo do aço. A quantidade de carbono é um dos principais fatores que definem a classificação em aço doce ou duro.Os outros principais elementos de liga encontrados em todos os tipos de aço, em maior ou menor quantidade, são o silício, o manganês, o fósforo e o enxofre. São empregados em equipamentos para a indústria mecânica, como em veículos de transporte de toda natureza, aparelhos elétricos e eletrônicos, eletrodomésticos e em máquinas em geral, além de ter grande aplicação na construção civil.

 
Aços-carbono

Liga de ferro-carbono que contém de 0,008% a 2% de carbono. Possui na sua composição apenas quantidades limitadas de carbono, silício, manganês, cobre, enxofre e fósforo. Outros elementos existem apenas em quantidades residuais. O carbono é elemento mais importante depois do ferro, sendo o elemento determinante das propriedades mecânicas do aço. A quantidade de carbono define o tipo de aço, conforme se denomina na indústria, em doce ou duro.
A maior parte do aço produzido no mundo é do tipo aço-carbono. Em regra geral, quanto maior o teor de carbono do aço, maior é sua dureza e menor sua dutilidade.

 
Aços-ferramenta

São aços utilizados em operações de corte, formação, afiação ou quaisquer outras relacionadas com a modificação de um material para um formato utilizável. Estes aços se caracterizam por sua elevada dureza e resistência à abrasão geralmente associados à boa tenacidade e manutenção das propriedades de resistência mecânica em elevadas temperaturas. Estas características normalmente são obtidas com a adição de elevados teores de carbono e elementos de ligas, como tungstênio, molibdênio, vanádio, manganês e cromo. Boa parte dos aços-ferramenta são forjados, mas algumas também são fabricadas por meio de fundição de precisão ou por metalurgia do pó.
A fusão dos aços-ferramenta é realizada, normalmente, em quantidades relativamente pequenas nos fornos elétricos, tomando-se um especial cuidado com as tolerâncias de composição química e homogeneidade do produto final. Estas e outras particularidades tornam o aço-ferramenta um material de custo mais elevado do que os aços comuns.
Aplicações dos aços-ferramenta:

  • Aços baixa-liga para aplicações especiais: utilizados, de um modo geral, em componentes de máquinas como árvores, cames, placas, mandris e pinças de tornos;
  • Aços para moldagem: como o próprio nome sugere, estes aços são utilizados como moldesde vários tipos, para aplicações que requerem a manutenção das características de resistência em temperaturas e pressões elevadas;
  • Aços temperáveis em água: são utilizados em ferramentas para forjamento a frio, cunhagem de moedas, gravação em relevo, trabalho em madeira, corte de metais duros (machos e alargadores), cutelaria e outras que requeiram resistência ao desgaste por abrasão.
  •  
    Aços rápidos

    Aços empregados em ferramentas de usinagem mecânica para altas velocidadesde corte, estáveis a altas temperaturas por decorrência da estabilidade de seus carbetos de elementos de adição.

     
    Aferição

    Conjunto de operações que estabelece, em condições específicas, a correspondência entre os valores indicados por um instrumento de medir ou por um instrumento de medição (ou mesmo por uma medida materializada) e os valores convencionais correspondentes da grandeza medida. O resultado de uma aferição permite determinar a diferença entre a indicação e o verdadeiro valor da grandeza medida.

     
    AISI

    Sistema americano para a classificação dos aços (American Iron and Steel Institute). Na prática, o sistema de classificação mais adotado é o SAE-AISI. Nele, o aço carbono é identificado pelo grupo 1xxx.
    Os algarismos base para os vários aços-carbono e aços ligados e as porcentagens aproximadas dos elementos de liga mais significativos recebem classificação da seguinte forma:

  • 10xx - aços-carbono;
  • 11xx - aços-carbono com muito enxofre e pouco fósforo;
  • 12xx - aços-carbono com muito enxofre e muito fósforo;
  • 13xx - manganês (1,75%);
  • 23xx - níquel (3,5%);
  • 25xx - níquel (5%);
  • 31xx - níquel (1,5%), cromo (0,6%);
  • 33xx - níquel (3,5%), cromo (1,5%);
  • 40xx - molibdênio (0,2 ou 0,25%);
  • 41xx - cromo (0,5; 0,8 ou 0,95%), molibdênio (0,12; 0,2 ou 0,3%);
  • 43xx - níquel (1,83%), cromo (0,5 ou 0,8%), molibdênio (0,25%);
  • 44xx - molibdênio (0,53%);
  • 46xx - níquel (0,85 ou 1,83%), molibdênio (0,2 ou 0,25%);
  • 47xx - níquel (1,05%), cromo (0,45%), molibdênio (0,25%);
  • 48xx - níquel (3,50%), molibdênio (0,25%);
  • 50xx - cromo (0,28% ou 0,40%);
  • 51xx - cromo (0,80, 0,90, 0,95, 1,00 ou 1,05%);
  • 61xx - Cromo (0,80 ou 0,95%), vanádio (0,10 ou 0,15%);
  • 86xx - Níquel (0,55%), cromo (0,50 ou 0,65%), molibdênio (0,20%);
  • 87xx - Níquel (0,55%), cromo (0,50%), molibdênio (0,25%);
  • 92xx - Manganês (0,85%), silício (2,00%);
  • 93xx - Níquel (3,25%), cromo (1,20%), molibdênio (0,12%)
  • 94xx - Manganês (1,00%), níquel (0,45%), cromo (0,40%), molibdênio (0,12%);
  • 97xx - Níquel (0,55%), cromo (0,17%), molibdênio (0,20%);
  • 98xx - Níquel (1,00%), cromo (0,80%), molibdênio (0,25%);

  • Os dois números representados pelas letras "xx" indicam a quantidade de carbono do aço. Por exemplo: o aço 1020 apresenta 0,2% de carbono.
    Os aços que possuem requisitos de temperabilidade adicionais recebem um H após a sua classificação.

     
    Ajuste

    Operação destinada a fazer com que um instrumento de medir tenhaum funcionamento e justeza adequados à sua utilização. É uma operação que leva o instrumento de medição a um estado de desempenho ausente de tendências e adequado ao seu uso.

     
    Alargamento

    Processo mecânico de usinagem destinado ao desbaste ou ao acabamento de furos cilíndricos ou cônicos com o auxílio de ferramentas geralmente multicortantes. Para tal, ou a peça ou a ferramenta gira deslocando-se numa trajetória retilínea. A ferramenta que tem por finalidade dar acabamento preciso em furos chama-se alargador.

     
    alívio de tensões

    O alívio de tensões é um tratamento térmico onde o forno é aquecido a uma baixa temperatura, se relacionada à temperatura usada em processos de têmpera, esse processo visa eliminar tensões internas que causam a perda de ductilidade e tenacidade no material. Estas tensões podem ser provenientes de tratamentos de têmpera, conformação a frio, soldagem, usinagem, e outras operações de manufatura.

     
    Alongamento

    Aumento do comprimento de um material submetido a um ensaio de tração.

     
    Amperímetro

    Instrumento de medida da amplitude da corrente elétrica. Contrário ao processo de medição da tensão, a medição de uma corrente elétrica é feita de modo que a corrente percorra o instrumento (ligação em série). Um amperímetro ideal caracteriza-se pela capacidade de medir a corrente sem incorrer em qualquer queda de tensão entre os seus terminais. Em outras palavras, o amperímetro ideal não deve apresentar qualquer resistência à passagem de corrente.

     
    Aplainamento

    Operação de usinagem cujo corte gera superfícies planas. O movimento de corte é apenas de translação. A peça se move enquanto a ferramenta permanece estática, ou vice-versa. Pode-se obter no aplainamento também superfícies perfiladas. A ferramenta empregada no processo chama-se plaina. No plainamento, arranca-se linearmente a limalha da superfície plana da peça pelo emprego da ferramenta monocortante (plaina). Ao remover uma faixa de material, a ferramenta (ou a peça) volta ao início do curso de trabalho, deslocando-se transversalmente de modo a remover uma nova faixa de material. As possíveis operções de aplainamento são: aplainamento de rasgos, aplainamento de perfis, aplainamento de ranhuras em "T", aplainamento de superfície cõncava, aplainamento de guias.

     
    Ar comprimido

    Ar sob compressão utilizado como fonte de energia para a realização de trabalho.
    As grandezas fundamentais do ar comprimido são sua pressão, temperatura e umidade. A energia no ar comprimido é devida principalmente à pressão que ele possui acima da pressão atmosférica, embora essa energia possa ser aumentada por aquecimento do ar depois da compressão e imediatamente antes do uso.
    O ar comprimido pode ser utilizado para impulsionar motores a ar, martelos pneumáticos, para puxar, empurrar, realizar trabalho ou desenvolver potência, além de em outros dispositivos.

     
    Atuadores pneumáticos

    Elementos de um circuito pneumático que realizam trabalho. Convertem energia fluida em energia mecânica. O principal tipo de atuador pneumático é o atuador linear (cilindro).
    Os atuadores lineares são os elementos pneumáticos mais usados em automóveis, sendo de simples manutenção e fixação, possuem variedades em formas construtivas e a maioria são normalizados.

     
    Austêmpera

    Tratamento isotérmico composto de aquecimento até a temperatura de austenitização, permanência nessa temperatura até completa homogeneização, resfriamento rápido até a faixa de formação da bainita e permanência nessa temperatura até completa transformação. Utiliza-se para peças que necessitam de alta tenacidade (efeito mola).

     
    Austenitização

    Tratamento térmico para efetuar a dissolução do carbono no ferro CFC, formando assim a austenita.

     

    Classificados »

    TPM - treinamento TPM - treinamentoHonsha.ORG
    Usinagem de precisão Usinagem de precisãoInarmeg Redutores e Máquinas
    SENSOR DE SINALIZAÇÃO SENSOR DE SINALIZAÇÃOSENSOR DO BRASIL
    CONTROLE E ACESSO CONTROLE E ACESSOSENSOR DO BRASIL
    Máquina de Marcação a Laser - DESKSTATION Máquina de Marcação a Laser - DESKSTATIONWELLE LASER
    Treinamento: Cálculos Para Técnicos de Segurança Treinamento: Cálculos Para Técnicos de SegurançaCIMM - Centro de Informação Metal Mecânica
    Nitretação em engrenagens Nitretação em engrenagensNitrion do Brasil