ESTUDO DO TEMPO DE FRESAMENTO DE FORMAS COMPLEXAS MANTENDO A VELOCIDADE DE CORTE E AVANÇO POR ARESTA CONSTANTE

por: Rodrigo Berretta Käsemodel, Rodrigo Voigt, Felipe Marin, Adriano Adriano Fagali de Souza

Acessar artigo completo



Ano: 2019

Instituições de ensino: Universidade Federal de Santa Catarina, Universidade Federal de Santa Catarina, Universidad del País Vasco, Universidade Federal de Santa Catarina

Idioma: Portugues

Logo-abcm-300
Logo-cobef-2019



Resumo

A usinagem com ferramentas de ponta esférica é amplamente utilizada na fabricação de geometrias complexas, porém neste processo, o diâmetro efetivo se altera ao longo da trajetória de usinagem. Este trabalho teve como foco avaliar a influência de diferentes geometrias e trajetórias de ferramentas na redução do tempo de usinagem ao manter a velocidade de corte e avanço por aresta constante. Para manter estes parâmetros constantes foi utilizado o programa CAMSpeed. As geometrias côncava, convexa e complexa, de mesma área superficial, foram estudadas utilizando em cada uma delas as estratégias contorno de periferia, passes paralelos e espiral. Os testes foram realizados em uma máquina CNC três eixos sem remoção de material. Estudos de ANOVA mostraram que tanto a geometria como a trajetória têm influência no tempo de usinagem, porém, apenas a trajetória possui influência sobre os ganhos obtidos com a utilização do programa CAMSpeed. Os resultados apontaram que para todos os casos houve redução no tempo, e que a média dos ganhos foi de 30%. Ao combinar a trajetória de menor tempo, contorno de periferia, com a utilização do programa CAMSpeed, para a geometria côncava, obteve-se um ganho de 59% em comparação com a trajetória de maior tempo, espiral, sem a utilização do programa.


Palavras chave

Acessar artigo completo



Comentários ()



Veja outros trabalhos acadêmicos

Outros conteúdos

Fórum

Tire suas dúvidas e ajude outras pessoas no CIMM:

Faça uma pergunta