INFLUÊNCIA DA FERRAMENTA DE CORTE DE USINAGEM NA TENSÃO RESIDUAL E NA DISTORÇÃO DIMENSIONAL DO AÇO SAE 5120H NO TRATAMENTO TÉRMICO

por: Diego Boaventura Amaral, Wellington Lopes, Elaine Carballo Siqueira Corrêa, Paulo Sérgio

Acessar artigo completo



Ano: 2019

Instituições de ensino: Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais, Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais, Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais, Pontifícia Universidade Católica

Idioma: Portugues

Logo-abcm-300
Logo-cobef-2019



Resumo

O tratamento térmico é um processo amplamente utilizado nos aços uma vez que ele agrega propriedades mecânicas importantes como dureza e resistência ao desgaste. O endurecimento pelo processo de têmpera à óleo é um dos mais comuns, tendo em vista o baixo custo de processamento, entretanto, possui como principal deficiência a distorção dimensional gerada nos componentes tratados. Neste contexto de distorção dimensional causada pelo tratamento térmico, têm-se como uma das causas predominantes, a tensão residual presente na peça devido a processamentos prévios, como a usinagem. O presente trabalho retrata um estudo das tensões residuais e da distorção dimensional do aço SAE 5120H sob diferentes variações da ferramenta de corte na usinagem (revestimento da ferramenta de corte e da condição de afiação da ferramenta) realizado antes e após a realização dos tratamentos térmicos de têmpera / revenimento. A avaliação da influência da ferramenta de corte foi realizada com uso de ensaio de análise dimensional e de tensão residual por difração de raios-X. Os resultados obtidos neste trabalho para o aço 5120H revelaram que as tensões residuais negativas (compressivas) existentes antes da execução dos tratamentos térmicos foram as que ocasionaram a maior distorção dimensional ao material tratado termicamente.


Palavras chave

Acessar artigo completo



Comentários ()



Veja outros trabalhos acadêmicos

Outros conteúdos

Fórum

Tire suas dúvidas e ajude outras pessoas no CIMM:

Faça uma pergunta