Análise da variação da velocidade nas propriedades mecânicas obtidas via ensaios de puncionamento esférico

por: Luiz Fernando Maia de Almeida, Rosenda Arencibia, Sinésio Franco, Juliano Oséias de Moraes

Acessar artigo completo



Ano: 2019

Instituições de ensino: Universidade Federal de Uberlândia, Universidade Federal de Uberlândia, Universidade Federal de Uberlândia, Universidade Federal de Uberlândia

Idioma: Portugues

Logo-abcm-300
Logo-cobef-2019



Resumo

A avaliação da vida útil residual e o potencial de possíveis falhas de componentes em operação é questão crítica na análise de segurança e confiabilidade das instalações industriais. Para otimizar as decisões relacionadas com a substituição ou extensão da vida dos equipamentos, os ensaios mecânicos baseados em técnicas que utilizam corpos de prova com dimensões reduzidas são eficientes, podendo ser considerados ensaios não destrutivos. Uma destas técnicas é o ensaio de puncionamento esférico (Small Punch Test), que consiste em puncionar um corpo de prova em forma de disco, com espessuras da ordem de 500 µm com uma esfera de metal duro e diâmetro conhecido. Este processo é semelhante à estampagem de chapas no que diz respeito às ferramentas do ensaio. O objetivo deste trabalho é avaliar as propriedades mecânicas (limite de escoamento e limite de resistência) de dois materiais de alta resistência e baixa liga (ARBL) por meio de ensaios de puncionamento esférico. Adicionalmente, é analisada a influência da variação da velocidade de teste nas variáveis resposta. Os valores de limite de resistência para os dois materiais foram similares aos obtidos por meio de ensaios de tração, enquanto o limite de escoamento foi adequadamente caracterizado para o material menos resistente. Já o fator velocidade não provocou efeitos estatisticamente significativos nos valores das propriedades mecânicas obtidas neste ensaio.


Palavras chave

Acessar artigo completo




Comentários



Veja outros trabalhos acadêmicos

Outros conteúdos

Fórum

Tire suas dúvidas e ajude outras pessoas no CIMM:

Faça uma pergunta