INFLUÊNCIA DO TEMPO DE PULSO NA CEMENTAÇÃO ASSISTIDA POR PLASMA

por: Laércio Malfatti, silvio brunatto, Rodrigo Perito Cardoso

Acessar artigo completo



Ano: 2019

Instituições de ensino: Universidade Federal do Paraná, Universidade Federal do Paraná, Universidade Federal do Paraná

Idioma: Portugues

Logo-abcm-300
Logo-cobef-2019



Resumo

Este artigo apresenta os resultados dos experimentos de cementação assistida por plasma à baixa temperatura do aço inoxidável martensítico AISI 410. O tratamento foi realizado em reator de plasma por um período de 12 horas na temperatura de 450 °C, variando o tempo de pulso do plasma e controlando a temperatura mediante sistema de aquecimento auxiliar. A câmara de vácuo do reator foi mantida na pressão de 3 Torr (400 Pa) e a mistura gasosa utilizada era composta de 99,5% (80% H2 + 20% Ar) + 0,5% CH4. Foi utilizada uma fonte de corrente contínua pul-sada (4,2 kHz), com forma de onda quadrada com período de pulso de 240 µs e a tensão de pulso foi selecionada em 700 V. Foram realizados três tratamentos, sendo o tempo pulso (tON) fixado para cada tratamento em 10 µs, 20 µs e 30 µs. As amostras tratadas foram caracterizadas por difratometria de raios X (DRX), medidas de dureza da superfície tratada e medidas de perfil de dureza. Os resultados indicam que, para todos os tratamentos há expansão do parâmetro de rede da martensita e, consequentemente, endurecimento da superfície tratada, com perfil de dureza suave. Os maiores incrementos de dureza e profundidade de endurecimento foram observados para o tratamento com tON 20 µs.


Palavras chave

Acessar artigo completo




Comentários



Veja outros trabalhos acadêmicos

Outros conteúdos

Fórum

Tire suas dúvidas e ajude outras pessoas no CIMM:

Faça uma pergunta