ARMAZENAMENTO DE HIDROGÊNIO EM CAVACOS PRODUZIDOS POR TORNEAMENTO DA LIGA TiCr1,1V0,9

por: Wágner Silva, Mateus Keniti Nakashima Sinzato, Ricardo Floriano, Armando Ítalo Sette Antonialli, Verona Oliveira, Daniel Rodrigo Leiva

Acessar artigo completo



Ano: 2019

Instituições de ensino: Universidade Federal de São Carlos, Universidade Federal de São Carlos, Universidade Estadual de Campinas, Universidade Federal de São Carlos, Instituto Politécnico da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (IPRJ-UERJ), Universidade Federal de São Carlos

Idioma: Portugues

Logo-abcm-300
Logo-cobef-2019



Resumo

Neste estudo foi analisada a liga de TiCr1,1V0,9 quanto a suas capacidades gravimétricas e volumétricas de armazenagem de hidrogênio quando processada por usinagem (torneamento). Por DRX foi identificada a formação de hidretos de TiH2 e TiCr1,8H5,3, além da fase de laves neste material depois dos ciclos de absorção e dessorção. Após o material torneado ter sido ativado na melhor condição de tratamento térmico, sua capacidade de absorção foi de 3,4% de hidrogênio. Análises de DSC e QMS revelaram as mesmas fases formadas após a hidrogenação e identificadas por DRX. O processo de pulverização torna-se viável pelo menor tempo dispendido para processar o TiCr1,1V0,9, simultaneamente à menor reatividade com o meio externo, quando comparado ao processo de HEBM, por exemplo. As curvas de cinética mostram a viabilidade em se reduzir a temperatura de ativação deste material de 400 ºC para 250 ºC por meio do uso do torneamento, uma vez que o aumento na capacidade gravimétrica deste material é proporcionado.


Palavras chave

Acessar artigo completo



Comentários ()



Veja outros trabalhos acadêmicos

Outros conteúdos

Fórum

Tire suas dúvidas e ajude outras pessoas no CIMM:

Faça uma pergunta