FLUIDEZ DE MATÉRIA PRIMA CERÂMICAS PARA O PROCESSO DED DE MANUFATURA ADITIVA

por: Italo Leite de Camargo, Rogério Erbereli, Carlos Fortulan

Acessar artigo completo



Ano: 2019

Instituições de ensino: Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, Universidade de São Paulo

Idioma: Portugues

Logo-abcm-300
Logo-cobef-2019



Resumo

A manufatura aditiva, embora muito atrativa para produção de componentes cerâmicos em pequena escala, encontra pouca oferta de matéria prima adequada, principalmente para o Direct energy deposition (DED), processo este que quando bem executado proporciona peças cerâmicas densas sem a necessidade da custosa e demorada etapa de sinterização. O presente trabalho visa investigar os efeitos da morfologia e tamanho de partícula na fluidez de pós cerâmicos, visto que uma boa fluidez é um dos principais requisitos para adequação ao processo de DED. Pós de alumina eletrofundida e esférico, separados em diferentes granulometrias tiveram sua fluidez medida de acordo com a norma ISO 14629 e sua morfologia analisada com auxílio de um microscópio confocal. Os pós de alumina eletrofundida, com geometrias pontudas e alta capacidade de aglomeração dos pós mais finos, apresentaram baixo desempenho no teste de fluidez. Por outro lado, os pós de alumina com formato esférico apresentaram boa fluidez, com exceção dos com granulometria exclusivamente mais fina (<38 µm), evidenciando seu potencial de uso no processo DED.


Palavras chave

Acessar artigo completo



Comentários ()



Veja outros trabalhos acadêmicos

Outros conteúdos

Fórum

Tire suas dúvidas e ajude outras pessoas no CIMM:

Faça uma pergunta