PIB cresce 4,3% no 1º tri em relação ao mesmo período de 2006

Fonte: InfoMoney - 13/06/07

O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, a preços de mercado, experimentou no primeiro trimestre de 2007 um crescimento de 4,3% em relação ao apurado no mesmo período de 2006, atingindo R$ 596,2 bilhões, sendo R$ 511,1 bilhões referentes ao Valor Adicionado a preços básicos e R$ 85,1 bilhões aos Impostos sobre Produtos.

Em relação ao trimestre anterior (quarto trimestre de 2006) o crescimento do PIB foi de 0,8%, levando-se em consideração a série com ajustes sazonais. O maior destaque foi o setor de Serviços, que apresentou crescimento de 1,7% no período em questão. Na mesma base comparativa observou-se estabilidade (+0,3%) da Indústria, enquanto a Agropecuária apresentou queda de 2,4%.

Na taxa acumulada em quatro trimestres terminados no primeiro trimestre de 2007, o crescimento do PIB foi de 3,8%.Os dados foram divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) na manhã desta quarta-feira (13).

Renda Nacional Bruta atingiu R$ 584,4 bilhões
No período entre janeiro e março deste ano, a Capacidade de Financiamento alcançou R$ 0,9 bilhão, contra R$ 1,5 bilhões vistos no mesmo período do ano passado.

A Renda Nacional Bruta atingiu R$ 584,4 bilhões no primeiro trimestre de 2007, contra R$ 524,3 bilhões no respectivo período de 2006. No mesmo sentido, a Poupança Bruta atingiu R$ 104,0 bilhões no primeiro trimestre deste ano, contra R$ 88,6 bilhões no mesmo período do ano anterior.

Em relação ao primeiro trimestre de 2006, o Valor Adicionado a preços básicos aumentou 3,9%, enquanto os impostos sobre produtos foram incrementados positivamente em 6,9%. Dentre os setores que contribuem para a geração do Valor Adicionado, nesta base de comparação, o setor de Serviços obteve o maior crescimento (4,6%), seguido por Indústria (3,0%) e Agropecuária (2,1%).

Importações e exportações em alta
Entre os componentes da demanda interna, o consumo das famílias cresceu 6,0% entre o primeiro trimestre de 2006 e o mesmo período de 2007. Nesta mesma base comparativa, o Consumo do Governo e a Formação Bruta de Capital Fixo avançaram, respectivamente, 4,0% e 7,2%.

Pelo lado externo, as exportações de bens e serviços avançaram no período (5,9%), assim como as importações, que continuam em expressiva expansão (19,9%). Cabe destacar que desde o primeiro trimestre de 2006 o crescimento das Importações de Bens e Serviços supera o das Exportações de Bens e Serviços nessa base de comparação.

Passagem trimestral: destaque para consumo do governo
Na demanda interna, na passagem do quarto trimestre de 2006 para o primeiro trimestre deste ano, o consumo das famílias, pelo décimo quinto trimestre consecutivo em alta, cresceu em 0,9%. Na mesma base comparativa, a Formação Bruta de Capital Fixo apresentou avanço de 2,1%. O IBGE destaca o crescimento de 3,5% no Consumo do Governo, após queda de 0,2% no trimestre anterior.

No setor externo, as exportações de bens e serviços tiveram variação positiva de 1,2%, enquanto as importações neste segmento cresceram em um ritmo mais elevado, de 4,1%, apresentando, nesta base comparativa, o décimo quarto trimestre consecutivo de avanço.
Tópicos:
  



Comentários