Demanda por alumínio crescerá 7% em 2013, diz Alcoa

A expansão da economia chinesa e recuperação da europeia aumentam expectativas de crescimento

A mineradora norte-americana Alcoa elevou a previsão para o crescimento da demanda global por alumínio para 7% em 2013, acima de sua projeção média de longo prazo de 6,5%. O executivo-chefe da empresa, Klaus Kleinfeld, destacou que a expansão da economia da China parece estar ressurgindo e que a Europa está melhor do que o esperado. Além disso, nos Estados Unidos os mercados automotivo e de aviação continuam fortes.

O otimismo com o mercado de alumínio demonstrado pela Alcoa forneceu impulso para as ações de outras empresas mineradoras. Na Bolsa de Sydney, BHP Billiton fechou com alta de 0,21% e Rio Tinto avançou 0,32%. Por volta das 8h (de Brasília), a Alcoa subia 2,64% no pré-mercado de Nova York.
 
A Alcoa "superou os voláteis preços dos metais e a instabilidade econômica global", afirmou Kleinfeld. As declarações do executivo foram feitas depois de a companhia anunciar que teve lucro líquido de US$ 242 milhões no quarto trimestre de 2012, em comparação com o prejuízo de US$ 191 milhões registrado no mesmo período de 2011.
 
Maior produtora de metais do mundo, a Alcoa é considerada uma referência porque abastece um grande grupo de indústrias e é a primeira empresa norte-americana a divulgar os resultados trimestrais. A companhia tem enfrentado dificuldades por causa do excesso de alumínio nos mercados globais e dos altos custos de muitas de suas unidades, o que levou a uma redução na produção em 2012. As informações são da Dow Jones.
 
Por Danielle Chaves/ Agência Estado
 
 
 
Tópicos:



Comentários