Siemens PLM planeja novas aquisições para crescer

No Brasil empresa irá reforçar número e capacitação de revendas para pequenas e médias empresas


Continua depois da publicidade


David Shook, vice-presidente da Siemens PLM para as Américas falou na manhã desta segunda-feira (05) para uma seleta plateia de engenheiros de grandes empresas que participaram do primeiro dia do Siemens PLM Connection. Shook mostrou entusiasmo ao falar dos próximos passos da empresa e comemorou o ano de 2011 como o melhor, superando as vendas de 2008.

O executivo preferiu não comentar os dados do ano fiscal da empresa que se encerrou no último 30 de setembro e lembrou que a empresa não divulga número concretos, mas informou que o crescimento do ano passado alcançou a casa dos dois dígitos. Para continuar crescendo uma das principais estratégias será a aquisição de empresas de tecnologia que possam complementar o portfólio de produtos. Recentemente foram compradas duas empresas brasileiras Innotec e Active e nos próximos meses devem ocorrer novas compras. Um dos avanços procurados com essas aquisições foi o aperfeiçoamento do trabalho com materiais compósitos.

O modelo de negócios no Brasil também está sofrendo mudanças nos últimos dois anos. O peso da sexta economia do mundo, como frisou Shook, faz do país um destino natural de investimentos, ainda que outros países da América Latina tenham registrado crescimentos percentuais maiores. De acordo com o vice-presidente, a Siemens lidera o mercado de CAD/CAM/CAE em conjunto com a Autodesk, ambos com 18% da fatia no Brasil.

O gerente de marketing do setor Velocity Series, Dyonadans Siqueira, conta que o investimento em pequenas e médias empresas é um segmento que está ganhando maior importância para a empresa e há investimentos na capacitação e aumento das revendas para o atendimento destes clientes. Siqueira explica que o atendimento a grandes clientes sempre aconteceu de forma direta, enquanto os países da América Latina eram atendidos por parceiros de revenda. Agora o modelo adotado nos países hispano falantes está sendo adaptado para atender as pequenas e médias e neste ano uma equipe de 10 funcionários foi formada para dar assistência e capacitar novos representantes.

Por Juliana Passos, colaboração para o CIMM

Tópicos:
           



Comentários