Usinagem 2012 marca retomada de otimismo do setor

7ª edição da Feira Usinagem revelou que boa parte dos expositores está otimista em relação à retomada do setor metalmecânico, depois de um primeiro semestre abaixo da expectativa.

 

A sétima edição da Feira Usinagem, realizada entre 16 e 19 de outubro, em São Paulo, revelou que boa parte dos expositores está otimista em relação à retomada do setor metalmecânico, depois de um primeiro semestre com resultados abaixo da expectativa. Porém, alguns participantes esperam que o Governo tome medidas efetivas para o reaquecimento da indústria.
 
“O atual momento do setor de máquinas e ferramentas é positivo, fundamentado pela redução dos juros da economia. Isso
propiciará o crescimento do nosso mercado, especialmente, pela excelente taxa fixa de 2,5% ao ano para compras de máquinas brasileiras através da Finame, uma oportunidade que acaba em 31 de dezembro e que não pode ser perdida pelos compradores”, alerta o diretor da Mello Máquinas e Equipamentos, Roberto Ferraretto de Mello. 
 
A Prodwin Tecnologias também aposta do reaquecimento do setor metalmecânico. “Tivemos um primeiro semestre fraco e com redução nas vendas de 2% em relação ao mesmo período de 2011”, relata o executivo Odair Hernandes. “No entanto, percebemos uma reação do setor nos últimos meses e, somado a alguns negócios que esperamos concluir ainda este ano, projetamos o crescimento em torno de 12% para 2012", afirma. Hernandes estima um crescimento de 20% para o ano que vem, impulsionado principalmente pela conquista de novos mercados e início das exportações.  
 
Com uma percepção menos otimista do momento pelo qual o setor industrial atravessa, o managing director da Fuchs do Brasil, Antonio Oliveira, enxerga diferenças entre o que se declara sobre o segmento e o que as empresas vivenciam. “Em 2012 houve uma crise não divulgada. O setor industrial do país viu os meses passarem sem nada melhorar. Muitas empresas têm perdido negócios para a concorrência internacional e estão sendo obrigadas a dispensar funcionários, pois a produção está muito baixa”, explica Oliveira. Para o próximo ano, a expectativa é de algumas medidas por parte do Governo Federal. “Esperamos que o Governo tome algumas ações, para que o cenário de 2012 não se repita em 2013 e para que o Brasil volte a crescer como nos anos de 2006 e 2007”, declara o executivo.
 
Usinagem 2012
Segundo dados oficiais da organização, a Feira Usinagem 2012 contou com seis mil visitantes, número similar à última edição, em 2010. Já o congresso teve 49 apresentações, durante três dias. A grade foi dedicada às necessidades dos profissionais da área de usinagem com trabalhos técnicos, estudos de casos, painéis de debates, análise de novas tecnologias e soluções para processos (torneamento, fresamento, retificação, eletroerosão, furação/rosqueamento, corte de engrenagens), ferramentas de corte, hardware e software. O público foi de 210 congressistas.
 
Tópicos:



Comentários