Presidente Dilma confirma que a fábrica da BMW virá para Santa Catarina

Anúncio oficial deve ser feito na segunda-feira (22), em Brasília, por representante da montadora alemã

O governo federal confirmou, no final da tarde de ontem (18), que a montadora alemã BMW deve anunciar, na próxima segunda-feira (22), às 15h, em Brasília, a instalação da sua primeira fábrica no Brasil. E que ela será em Santa Catarina. A informação foi dada pela presidente Dilma Rousseff à ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, às 19h50min de quinta-feira (18).

A BMW não confirmou ainda a cidade de Araquari como sede da empresa, mas o município foi o mais cogitado desde o início das negociações. Ainda na tarde desta quinta-feira, o vice-presidente financeiro da empresa, Frederich Eichiner, chegou a divulgar, para a agência de notícias Reuters, que o investimento será submetido ao governo brasileiro.
 
O secretário do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Paulo Bornhausen, vai acompanhar o governador Raimundo Colombo em audiência com a presidente Dilma Rousseff na segunda-feira.
 
Segundo a assessoria do governador, o evento do lançamento em Santa Catarina será no próximo dia 24 no Teatro do CIC.
"Estamos concluindo uma negociação que vai marcar época na economia de SC", disse Colombo.
 
Bornhausen confirmou que a empresa se pronunciará no Salão de Automóveis de SP, na terça-feira que vem, depois do encontro com a presidente Dilma. Segundo ele, o projeto prevê investimentos da ordem de R$ 1 bilhão e vai gerar 1,5 mil empregos diretos na primeira etapa e mais mil na segunda fase.
 
O presidente da Associação Empresarial de Joinville (Acij), Mário Cezar Aguiar, comemorou a notícia, lembrando que a vinda da primeira fábrica da BMW no Brasil para SC agregará valor ao setor automotivo. "É um momento de comemoração porque a BMW é uma marca de referência mundial e o Estado só tem a ganhar com a instalação da fábrica em Santa Catarina", destacou Aguiar.
 
Nova fábrica produzirá três modelos
A BMW vai produzir no Estado, inicialmente, os seus carros de entrada, o X1 (caminhonete crossover), o sedan série 3 e o BMW hatch série 1. Isso vai permitir redução de 15% a 40% no preço dos veículos aos consumidores, segundo informações não oficiais.
 
A intenção da companhia é competir no segmento de sedãs médios, com preços a partir de R$ 70 mil. Atualmente, o X1 custa R$ 137 mil, o Série 1 sai R$ 115 mil e o Série 3, R$ 129 mil, segundo Eduardo Scheer, da Top Car, que detém os direitos de venda da marca em SC.
 
A concessionária tem unidades em Florianópolis, Blumenau e Chapecó e está construindo uma em Joinville. No ano passado, a Top Car foi eleita a melhor concessionária da marca no Brasil e a terceira melhor no mundo.
 
Regime automotivo
Ao anunciar o novo regime para o setor automotivo, que valerá a partir de 2013, o ministro de Desenvolvimento, Fernando Pimentel, apostava nos investimentos de BMW, Cherry, JAC Motors e Nissan, com a injeção de R$ 5 bilhões no país.
 
O novo regime permite que importadores tenham direito a desconto no IPI, flexibiliza a exigência de conteúdo nacional, cria cotas para os importadores e fixa como condicionante o investimento de 0,5% da receita bruta em pesquisa e desenvolvimento.
Para atrair a empresa, o governo de SC decidiu criar um regime automotivo especial.
 
"Vamos criar o Compete SC, um regime mais justo entre as partes do que alguns adotados por outros estados. Ele está dentro da normalidade daquilo que SC faz em relação às empresas que estão instaladas aqui", disse Bornhausen. Os detalhes só serão conhecidos quando o projeto for para Assembleia Legislativa, depois do anúncio oficial.
 
Por Simone Kafruni/ Jornal de Santa Catarina
Tópicos:



Comentários