Brasileiros e argentinos tentam elevar produção de máquinas

A Abimaq e o governo cordobês se comprometeram em aumentar o intercâmbio de produtos e integrar produção dos dois países.


Continua depois da publicidade


Uma parceria entre empresários brasileiros e o governo da província argentina de Córdoba promete trazer competitividade e produtividade aos fabricantes de máquinas industriais de ambos os países.

A Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq) se comprometeu com o governador cordobês, José Manuel de la Sota, em aumentar o intercâmbio de produtos e integrar a produção.
 
Intermediado pela Câmara de Comércio Argentino Brasileira (CCAB), o projeto espera trazer maior eficiência e condição para os industriais competirem tanto dentro do Mercosul, quanto fora dele. “Queremos trabalhar para trazer produtos mais baratos e melhores. Ocupar nosso mercado  interno e exportar”, afirma Alberto Alzueta, presidente da CCAB.
 
Os empresários, com receio dos empecilhos colocados pelo ministro argentino do Comércio Interior, Mario Guillermo Moreno, agora esperam uma estratégia para driblar os embargos estabelecidos às importações de manufatura brasileira. Ouviram, no entanto, a promessa de Manuel de la Sota de que não encontrarão problemas. “Nem Moreno conseguirá frear este acordo”, disse o governador durante reunião na quarta-feira.
 
Para facilitar as viagens de empresários entre São Paulo e Córdoba, a Gol estuda criar um vôo direto entre as duas cidades. Hoje é necessário fazer escala em Buenos Aires ou Porto Alegre. No encontro, De la Sota afirmou aos representantes da empresa aérea que a província está de braços abertos para receber a companhia. Segundo Alzueta, os vos regulares facilitarão novos negócios. “Se existir esta viagem a cada três dias já está ótimo”, exclama. 
 
 



Comentários