Fabricante de protótipos de carros chega ao Brasil

A Metalcrafters instalará sua primeira fábrica fora dos Estados Unidos.

 

A americana Metalcrafters, conhecida por produzir carros experimentais e protótipos de automóveis para montadoras, está chegando ao Brasil para instalar sua primeira fábrica fora dos Estados Unidos.
 
A unidade será construída em Lorena, no interior paulista, com investimentos estimados em R$ 15 milhões e início das operações previsto para setembro do ano que vem. Os trabalhos de terraplenagem em um terreno de 40 mil metros quadrados - próximo à rodovia Presidente Dutra - devem começar em setembro.
 
O primeiro objetivo será desenvolver, produzir e testar protótipos de ônibus elétricos para a Comil, empresa que está investindo R$ 110 milhão na construção de uma fábrica de ônibus urbanos na mesma cidade.
 
Paralelamente, serão testados materiais alternativos - entre compósitos reforçados de fibras de carbono e resina vegetal - nos componentes desses veículos, como portas, carroceria e assoalho. Após isso, os planos do grupo passam por projetos de aeronaves - de olho na Embraer - e a fabricação de protótipos de carros para as montadoras locais.
 
Fundada em 1979 em Fountain Valley, na Califórnia, a Metalcrafters atende a quase todas as grandes montadoras do mundo e participou de projetos que resultaram na criação de modelos como o Veloster e o ix35, da Hyundai, a minivan Kia Soul e o esportivo Eclipse, da Mitsubishi.
 
A empresa faz desde o design e a engenharia do automóvel até a fabricação de protótipos e carros experimentais, expostos em feiras e salões do automóvel. As montadoras encomendam esse trabalho antes de produzir os carros em escala comercial.
 
No Brasil, a Metalcrafters está chegando pelas mãos do engenheiro especializado em biotecnologia Edgardo Vieytes Junior, que atraiu o presidente da empresa, George Gaffoglio, e três investidores privados australianos para a empreitada em Lorena.
 
Vieytes Junior diz que os sócios se interessaram pelo potencial de crescimento do mercado automotivo brasileiro - o quinto maior do mundo. Além disso, eles avaliam que a necessidade de reduzir emissões de poluentes vai abrir oportunidades de negócios para as tecnologias mais limpas.
 
O foco no país, no primeiro momento, será desenvolver um ônibus de propulsão puramente elétrica. A intenção é nacionalizar todo o sistema de motorização, incluindo motores e gerenciadores de bateria - excluindo, contudo, as baterias de lítio, que serão importadas.
 
Nos Estados Unidos, a companhia faz, por conta própria, os componentes elétricos de gerenciamento de baterias e contrata de fornecedores os motores elétricos instalados nos protótipos.
 
Vieytes Junior diz que a empresa já tem parceiros estratégicos para reproduzir esse tipo de desenvolvimento no Brasil. "Vamos tropicalizar a tecnologia", afirma o executivo, que assumiu a direção dos negócios da Metalcrafters no Brasil,.
 
Inicialmente, a companhia terá ao redor de 40 funcionários em Lorena, sendo a maioria formada por engenheiros e técnicos. A partir da produção de protótipos de automóveis, esse efetivo poderá evoluir para 100 funcionários no futuro.
 
"Vamos crescer aos poucos, de acordo com a receptividade do mercado", afirma Vieytes Junior, acrescentando que a fábrica paulista coloca a empresa perto de pelo menos dez montadoras e da Embraer, instalada em São José dos Campos - a menos de 100 quilômetros de Lorena.
 
Além da Comil, a fábrica estará próxima a grandes montadoras na região do Vale do Paraíba - como a Volkswagen (em Taubaté), a General Motors (em São José) e, futuramente, a chinesa Chery, que instala sua fábrica em Jacareí.
 
Por Eduardo Laguna/ Valor Econômico 
 
Tópicos:



Comentários