Mercedes reinaugura planta em Minas, mas prevê queda de vendas

Mercado de caminhões deve cair entre 15% e 18% em 2012

O presidente da Mercedes-Benz do Brasil e CEO para América Latina, Jürgen Ziegler, afirmou na quinta-feira (3) que o mercado de caminhões, no País, deve cair entre 15% e 18% em 2012. A comercialização da montadora, segundo o executivo, deve seguir a tendência de baixa, mas em menor proporção. "Mesmo assim, consideramos que este ano será bom, uma vez que as vendas em 2011 foram excelentes", disse Ziegler, durante a reinauguração da planta de caminhões da Mercedes em Juiz de Fora (MG).

Durante 13 anos, a unidade produzia o carro Classe A, modelo de entrada da marca de luxo. Para adaptar a planta para a linha de caminhões, a empresa do Grupo Daimler investiu R$ 450 milhões nos últimos 18 meses, dentro de um programa de aportes de R$ 1,5 bilhão no período de 2010 a 2013. "A unidade foi preparada para a produção dos modelos Accelo e Actros em tempo recorde", salienta Ziegler.
 
No primeiro trimestre, os emplacamentos caíram em torno de 10% na comparação com 2011, principalmente em razão da antecipação de compras no final do ano passado, provocada pela entrada em vigor das regras do Euro 5 em janeiro deste ano. "Estamos em transição. Esperamos que, no segundo semestre, as vendas aumentem", diz Ziegler. Já foram emplacados 5 mil caminhões Euro 5 da marca.
 
Além do Actros, a planta mineira produzirá o modelo leve Accelo, tirado da linha de São Bernardo do Campo (SP). "Não temos qualquer intenção de desativar a fábrica do ABC, apesar de estar no limite da capacidade. Caso seja necessário, tiraremos outra linha e levaremos para Juiz de Fora", afirma o vice-presidente da Mercedes do Brasil, Ronald Linsmayer. A planta de SBC é mais verticalizada da montadora e produz desde motores, eixos e transmissores e monta caminhões.
 
Apesar de a capacidade da planta do ABC ter sido ampliada para 80 mil unidades por ano, ante 50 mil de Juiz de Fora, o diferencial da unidade mineira é o seu complexo de fornecedores. Dentro do site de 2,5 milhões de metros quadrados em Minas estão fabricantes como a Maxion, a Randon, a Seeber e a Grammer.
 
Carros de passeio 
A Mercedes-Benz internacional pretende atingir a marca de 1,5 milhão de veículos vendidos até 2014, podendo chegar a 1,6 milhão em 2015. A montadora aposta nos compactos para incrementar os negócios. No Brasil, a venda de carros com preços acima de R$ 100 mil, como da Mercedes, BMW e Audi, ainda não atingiu escala para justificar produção local. A Mercedes vendeu 10,4 mil automóveis no País, em 2011, o que não garante o retorno da produção local. "Sempre há possibilidade de voltar a produzir localmente. No entanto, a demanda não garante", diz Ziegler. 
 



Comentários