Fabricantes de motos e setor ferroviário também querem incentivos

ANTF e Abraciclo pedem incentivos fiscais ao governo

Depois de perder o bonde das medidas de incentivo anunciadas na semana passada pelo governo, as concessionárias que operam a maior parte das ferrovias do País vão nas próximas semanas bater na porta da equipe econômica pedindo benefícios para o setor. "Perdemos essa oportunidade, mas queríamos que também houvesse a "linha branca" ou o "carro mil" das ferrovias", disse ontem o presidente da Associação Nacional dos Transportadores Ferroviários (ANTF), Rodrigo Vilaça.

Segundo ele, a ANTF pedirá ao governo desonerações para a cadeia de produção de equipamentos ferroviários e na folha de pagamento do setor. "Também vamos pedir aos ministros Guido Mantega (Fazenda) e Fernando Pimentel (Desenvolvimento) formas de financiamento com taxas menores e com prazos mais longos de 20 a 25 anos."

Segundo Vilaça, se o setor obter esses benefícios, os planos de expansão e investimentos até 2020 poderão aumentar consideravelmente. As concessionárias devem investir cerca de R$ 5,3 bilhões em 2012, superando os cerca de R$ 4,5 bilhões de investimentos privados durante o ano passado. Segundo a ANTF, a movimentação de carga deve chegar a 522 milhões de toneladas em 2012.

Outro setor que está reclamando é de fabricantes de motos e bicicletas. O diretor da Abraciclo, José Eduardo Ramos Gonçalves queixou-se da postura do governo por não beneficiar os fabricantes de motos com a nova política industrial: “O setor de duas rodas não recebeu nenhum tipo de incentivo.” Ele acredita, porém, que o governo esteja aberto ao diálogo e garante que a Abraciclo será atuante em defesa do segmento.

Tópicos:



Comentários