Financiamento de máquinas e equipamentos é destino de 30% do crédito do BNDES

O BNDES desembolsou R$ 140 bilhões em 2011. O resultado é 17% menor em relação aos desembolsos de 2010, de R$ 168,4 bilhões, mas as liberações ficaram em patamar semelhante às realizadas naquele ano. Subtraindo-se os R$ 24,7 bilhões aplicados pelo BNDES na capitalização da Petrobras, os desembolsos de 2010 atingiram R$ 143,6 bilhões.

Os financiamentos de máquinas e equipamentos nas linhas do BNDES PSI contribuíram fortemente para os investimentos em todos os setores apoiados pelo Banco. O financiamento foi aproximadamente 30% do total e chegou a R$ 42,5 bi. O Programa de Sustentação do Investimento ficará em vigor até dezembro deste ano.

O total liberado para as micro, pequenas e médias empresas (MPMEs) foi recorde e alcançou R$ 49,8 bilhões. O Cartão BNDES foi um dos fatores que impulsionaram este crescimento. As liberações do Cartão atingiram R$ 7,6 bilhões, com aumento de 76% em relação a 2010.

Setores
O maior destaque de 2011 foram os repasses do Banco para os grandes projetos estruturantes. O setor de infraestrutura liderou os desembolsos, com R$ 56,1 bilhões ou 40% do total liberado. Os montantes mais significativos foram para transporte rodoviário, com R$ 26 bilhões, e energia elétrica, com R$ 15,9 bilhões.

Para a indústria foram liberados R$ 43,8 bilhões (participação de 32%), com ênfase em material de transporte (R$ 8,2 bilhões), química e petroquímica (R$ 7,1 bilhões), alimentos e bebidas (R$ 6,8 bilhões) e indústria mecânica (R$ 4,5 bilhões). Para comércio e serviços, o BNDES destinou R$ 29,2 bilhões (21% do total) e à agropecuária, R$ 9,8 bilhões (7%).

A descentralização geográfica do crédito também foi destaque. As regiões Norte e Nordeste responderam por 22% dos desembolsos totais do Banco, uma alta em relação aos 17% de 2010. A participação das duas regiões no desembolso do BNDES está em linha com sua contribuição ao PIB brasileiro.

Tópicos:
  



Comentários